FERIAS

Junho 27, 2005 às 10:53 am | Publicado em Media & Jornalismo | 4 comentários
AVISO
POR MOTIVO DE FERIAS NOS MEDIA NÃO VAI SER ACTUALIZADO COM A PERMANENCIA DE SEMPRE
Anúncios

Será Que Guiné Bissau Prepara-se Para Dar O Último Passo Para Trás?

Junho 23, 2005 às 2:51 pm | Publicado em Media & Jornalismo | 2 comentários

Silvino Évora
Editor de NÓS MEDIA

Trinta anos depois da sua independência, Guiné Bissau encerra a vergonha da forma como a descolonização foi feita na África Lusófona. Nem Angola, nem Moçambique, nem São Tomé e Príncipe: o único país que deu passos para frente foi mesmo Cabo Verde, que passou de um país rural para um país simi-rural. Há ainda muita coisa, a ser feita em Cabo Verde, até que o país ganhe verdadeiramente o estatuto de uma região com desenvolvimento médio.
Mas, no lado oposto de Cabo Verde, encontra-se Guiné Bissau que, trinta anos depois, tem dado sucessivos passos para trás, mergulhando-se num manto de pobreza, com claros sinais de subdesenvolvimento.

Se os guineenses forem votar no Nino Vieira e este for juntar-se ao Kumba Yalá, nunca mais vão poder culpar o país, nem ninguém.

A única forma que os guineenses encontraram, ao longo desses trinta anos, para se sucederem no governo do país, é dando golpes de Estado. A militarização da população civil é um outro problema que faz com que o país mergulhe cada vez mais num lago de inseguranças.
Dois homens encarnam o subdesenvolvimento da Guiné Bissau: Kumba Yalá e Nino Vieria. Ambos foram Presidentes da República do país… ambos trabalharam para o subdesenvolvimento do país. Trinta anos depois, Guiné é um mar de pobreza, oferecendo à população, precárias condições de vida, e uma fraca perspectiva do futuro.
João é o nome de um jovem guineense, de pouco mais de vinte anos, que me disse que não sabe qual será o seu futuro porque nem o país saberá o que vai ser o futuro dos seus filhos. Entre a esperança e o desespero, João me diz que seria melhor Malam Bacai ir à segunda volta destas eleições presidenciais com Kumba Yalá porque seria mais fácil o Kumba ser derrotado. Mas, enganou-se. Quem vai para a segunda volta é mesmo Nino Vieira, ao lado de Malam Bacai. O medo do João foi confirmado e cada vez mais Guiné se aproxima do fim… será o fim da esperança. O fim da expectativa.
Se durante os quase vinte anos que Nino Vieira esteve no poder, o país andou em marcha atrás, o que é que ele vai lá fazer agora? Cavar um buraco para meter o país definitivamente no pântano da miséria que os sucessivos Governos têm vindo a construir? O pior nisso tudo é se Kumba Yalá e Nino Vieira fizerem uma parceria estratégica. Quem não se lembra de ver os dois, aos abraços, há pouco tempo, quando Nino regressou ao país? A imagem é bem nítida da mesquinhez política que povoa o imaginário desses homens. Reflecte a hipocrisia de dois homens que sabem o quanto sacrifício fizeram para derrotar um povo. Sem vergonha na cara, Nino Vieira diz, ao povo, que a razão do subdesenvolvimento do país está no facto de os portugueses nunca terem feito nada para Guiné. E o que é que ele fez para o avanço desse povo? E os outros…? E nós cabo-verdianos? O que é que herdamos quando os portugueses saíram do arquipélago? Um país completamente desértico, com uma grande quantidade de analfabetos, sem escolas, sem hospitais, sem casas decentes e com todos os problemas que se lhe associem. A única coisa que esteve do nosso lado é a vontade que o povo cabo-verdiano sempre teve de lutar para vencer. E, assim foi.
Se os guineenses forem votar no Nino Vieira e este for juntar-se ao Kumba Yalá, nunca mais vão poder culpar o país, nem ninguém. Porque, depois de se dar o último passo para trás, poucas são as possibilidades de, um dia, se ver a reviravolta.

TELEVISÃO E CIDADANIA Inaugura Colecção da Campo das Letras

Junho 23, 2005 às 11:08 am | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

Quem não se recorda do debate público que se desencadeou em Portugal, na primavera de 2002, em torno do serviço público de televisão? Quem não se lembra das demagogias de Morais Sarmento que falava tanto do serviço público de televisão sem saber o que isso era? Quem já se esqueceu da ideia de Sarmento de atribuir o então canal dois da RTP à sociedade civil sem que o homem nunca soubesse do que se tratava isto de sociedade civil? Tudo isso aconteceu. Montaram uma comissão de estudo sobre o perfil do serviço público e tudo. E, acabaram por enganar o povo (é o que os políticos mais fazem): iludindo os cidadãos de que o canal A2 era independente da RTP, o novo canal da sociedade civil continuou tão dependente da RTP quanto a antiga RTP2. Isto porque, em rigor, a sociedade civil não pode fazer televisão. Custa dinheiro demais. E se não fosse a RTP a suportar as produções do canal da sociedade civil, tal canal, hoje, não lhe restava nada mais do que o finado.

Quando se discutia o que era o serviço público de televisão, um grupo de investigadores da Universidade do Minho, abraçando um projecto de investigação chamado Madiascópio, reflectiram sobre o assunto. Resultado: acabaram por publicar o livro Televisão e Cidadania, que hoje é reeditado pela Campo das Letras, abrindo uma colecção sobre o campo desciplinar. A dica é do Jornalismo e Comunicação. Ler Mais

Até Onde Vão As Pressões Políticas Na RTP?

Junho 23, 2005 às 10:55 am | Publicado em Media & Jornalismo | 1 Comentário

Não conseguindo responder cabalmente esta preocupação, o Jornal de Notícias lança pistas para reflectirmos sobre esse assunto. O que está na base da suspeita é a contratação do HABITUEM-SE (o socialista António Victorino) para comentador da estação pública. O JN avança com a notícia de que “o director de Informação da RTP, Luís Marinho, negou que tenha existido qualquer pressão ou interferência do PS ou de outro partido na contratação do dirigente socialista António Vitorino, como comentador da estação de televisão. Este responsável foi ontem ouvido pela comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, na sequência de um requerimento do PSD relacionado com a contratação de Vitorino, que os sociais-democratas consideraram ser um caso de favorecimento do PS“. Ler Mais

Não compreendo como é que um homem que mostrou tanta hostilidade em relação à comunidade jornalística, depois do PS ter ganho as eleições, estaria interessado em ter um espaço na televisão como comentador. Talvés ele tivesse razão quando disse os jornalistas para se habituarem. O problema é que o homem não chegou a completar o seu raciocínio. Mas, acredito que a intenção dele era dizer HABITUEM-SE AO MEU CINISMO.

Benfica Quer Arranjar Um Canal De Televisão

Junho 23, 2005 às 10:36 am | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

Será que vai se chamar TV Águia?

«A TV Cabo está a avaliar o projecto do Benfica de lançamento de um canal de cabo. “Conhecemos, enquanto operador, a pretensão do Benfica e estamos numa fase preliminar de avaliação do projecto”, disse ao DN fonte oficial da TV Cabo, operadora do grupo Portugal Telecom (PT). A mesma fonte reforçou ainda as “excelentes relações” que tem com o clube da Luz», noticia o Diário de Notícias. O jornal adianta ainda que «contactado pelo DN, outro operador de cabo, a Cabovisão, confirmou não ter recebido, até ao momento, qualquer proposta de distribuição do canal de cabo que o Sport Lisboa Benfica (SLB) pretende lançar até final do ano, data confirmada ao DN por fonte do clube encarnado. No entanto, ainda na segunda-feira, no Jornal de Negócios, o CEO do Benfica, Domingos Soares de Oliveira, definia um prazo de três meses para o lançamento do projecto». Ler Mais

Quem Vai Governar Guiné Bissau?

Junho 23, 2005 às 12:35 am | Publicado em Media & Jornalismo | 3 comentários

Foto da Visão News

Malam Bacai e Nino Vieira São Convidados à Segunda Volta… isto, apesar de uma grande maioria achar que seria melhor uma segunda volta entre Malam Bacai e Kumba Ialá. Para os guineenses, que estão fartos de Nino e Kumba, é mais fácil Malam Bacai derrotar o Kumba de que o Nino.

O jornal On-line da Guiné Bissau escreve que os resultados provisórios das eleições de 19 de Junho, anunciados dia 22 do corrente, pelo presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), apontam para uma segunda volta entre os candidatos do PAIGC, Malam Bacai Sanhá, e o independente João Bernardo Vieira Nino.

«No apuramento por regiões, Bacai Sanhá totaliza 158.276 contra 128.918 votos de Nino Vieira, enquanto que Koumba Yalá, candidato apoiado pelo PRS, em terceiro lugar, arrecada 111.616 votos. Após ter divulgado os resultados provisórios, o presidente da CNE, apesar de questionado pela imprensa, preferiu não avançar os nomes dos candidatos para a segunda volta, mas assegurou que haverá mais um escrutínio para decidir quem será o Presidente da República. “A única certeza, de momento, é que haverá a segunda volta”, disse.Aladje Mané afirmou que o mais importante, neste momento, é a contribuição dos actores políticos e dos candidatos para que haja “concórdia, paz e estabilidade”». Ler Mais

Bitácoras Premeia os Melhores Blogues que Durante 2004 Hablaram Español

Junho 22, 2005 às 4:13 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

O prémio Bitácoras 2004 teve como preocupação, reconhecer e incentivar a publicação de posts em língua espanhola (formalmente conhecida como Língua Castelhana”. Quem nos dá essa dica é o Periodismo Global, que apresenta-nos a lista dos grandes vencedores e as respectivas categorias nas quais foram premiadas:

_______________________

Mejor Sistema de Publicación: WordPress

Mejor Bitácora Personal: Kirai.net

Mejor Bitácora sobre Tecnología e Internet: Mangas verdes

Mejor Bitácora sobre Arte/Cultura: Boulé

Mejor Bitácora Periodística: Escolar.net

Mejor Bitácora Temática: El Documentalista Enredado

Mejor Bitácora Colectiva: Microsiervos

Mejor Fotolog: Jabalí Fotolog

Mejor Diseño en una Bitácora: Papel Continuo

Mejor Bitácora Veterana: Blogpocket

Mejor Bitácora Novel: CanalPDA.com

Mejor Bitácora Americana: ALT1040

Mejor Bitácora Europea: Escolar.net

Mejor Bitácora del Año: Kirai.net

Mejor Bitácora para el Público: Kirai.net

Premio Especial, Mejor Bitácora escrita en Inglés: Double-Tongued Word Wrester

Premio Especial, Mejor Bitácora escrita en Català: Bandera Negra

Premio Especial, Mejor Bitácora escrita en Galego: Costa dos Arrieiros

Premio Especial, Mejor Bitácora escrita en Euskera: declarado desierto.

NOTA:

Para mais informações sobre esse assunto, convido os ciberleitores a consultar a página do Bitácoras.

Será que é desta vez que Guiné Bissau vai desencalhar?

Junho 21, 2005 às 12:49 am | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

“As crianças são flores da revolução, a razão da nossa luta”

Amílcar Cabral

De acordo com a TSF, “os observadores internacionais consideram que as presidenciais de domingo na Guiné-Bissau decorreram de forma «livre, justa e transparente», com uma participação «maciça» dos pouco mais de 538 mil eleitores inscritos”. Trata-se de uma boa informação para os filhos dessa terra que, os trinta anos que seguiram à independência não serviram de mais nada que para fustigar a população que vive em condições precárias. Os sucessivos golpes de Estado que têm sido dados na Guiné Bissau, a falta de quase todas a liberdades cívicas dos cidadãos, a má gostão dos bens públicos e o espírito de autoritarismo que marcaram todos quanto tiveram a responsabilidade de conduzir o destino do país, fizeram com que o barco em que esse povo irmão caminha afundasse paulatinamente.

Segundo o jornal Guiné Bissau On-line, “as eleições presidenciais que tiveram lugar ontem no país, têm fortes possibilidades de haver a 2ª volta. O processo de votação decorreu com normalidade e verificou-se a grande afluência dos eleitores a urnas. De momento, não foi possível apurar qualquer resultado, visto que a lei eleitoral guineense proíbe as sondagens, antes e depois das votações. O próprio Presidente da CNE já admitiu que possa haver a 2ª volta”.

“As Crianças São as Flores da Revolução, a Razão da Nossa Luta”, dizia Amílcar Cabral. Mas, esse espírito cabralista apenas ocupou uma humilde página na história do povo guineense, tendo as crianças, os jovens, os adultos e até os velhinhos perdido a centralidade da atenção por uma luta sem objectivo, consubstanciada em golpes de Estado que não param de suceder.

Alguém já tinha escrito que Guiné é um país de faz de conta. Uma coisa é certa: esse povo tem a estimulante e necessária tarefa de lutar para triunfar-se, num mundo em que a globalização fustiga os mais fracos, arranstando todos e levando numa enchurrada que converge a economia de escala com a tecnologia inteligente e o empreendedorismo. O único caminho que resta ao povo guineense é a união porque, senão, a única victoriosa nessa guerra será a coligação FOME, INSTABILIDADE, GUERRA, POBERZA E MISÉRIA.

____________________________

Sindicato dos Jornalistas da Guiné Bissau reage à agressão que dois profissionais sofreram por homens do Kumba Ialá

A Notícia é do PARALELO14, QUE CITA A LUSA.

“O sindicato dos jornalistas guineenses condenou as agressões “brutais” a dois profissionais nacionais alegadamente perpetradas na manhã do dia das eleições por apoiantes de Kumba Ialá junto à residência do candidato.
Num comunicado, fruto de uma reunião extraordinária da sua direcção, o Sindicato de Jornalistas e Técnicos da Comunicação Social (SINJOTECS) da Guiné-Bissau lembra que os jornalistas agredidos, Mama Saliu Sané e Fulgêncio Borges, dos semanários independentes “Gazeta de Notícias” e “Kansaré”, estavam no exercício das suas funções.
“Os jornalistas estavam no pleno exercício das suas funções, em cobertura do acto de votação do candidato Kumba Ialá, e foram brutalmente espancados na sequência de uma tentativa de entrevistar o candidato”, explica o sindicato.
Os dois jornalistas encontram-se já recuperados, embora com várias escoriações na cara e nas costas, fruto dos “murros e pontapés” dados por apoiantes de Kumba Ialá que, segundo Saliu Sané contou à agência Lusa, haviam recebido ordens de um dos seguranças privados do candidato para “escorraçarem os jornalistas”.
Segundo Saliu Sané, o segurança convenceu os apoiantes depois de lhes ter indicado que os jornalistas eram “uns chatos e inimigos do partido”, referindo-se ao Partido da Renovação Social (PRS), que apoia oficialmente Kumba Ialá”.
Ler Mais

PRESIDENCIAIS NA GUINÉ BISSAU: Apoiantes de Kumba Ialá Agridem dois Jornalistas

Junho 20, 2005 às 10:44 am | Publicado em Media & Jornalismo | 1 Comentário

Homens de Kumba Ialá agridem jornalistas do Gazeta de Notícias e do Kansaré

O jornal cabo-verdiano Expresso das Ilhas, que acaba de renascer na Internet, avança que os apoiantes de Kumba Ialá agrediram dois jornalistas da Guiné Bissau, que tentavam entrevistar o antigo Presidente do país, depois deste ter cumprido o seu dever cívico de votar para as presidenciais, que se realizaram ontem, dia 19.

“Os jornalistas agredidos foram Mama Saliu Sané, do jornal Gazeta de Notícias, e Fulgêncio Mendes Borges, do semanário Kansaré, ambos publicações privadas com sede em Bissau, divulgou a LUSA na capital guineense.
Segundo os relatos feitos por Mama Saliu Sané, tudo aconteceu quando os profissionais tentavam entrevistar Kumba Ialá, com os guardas deste a impedirem a aproximação dos jornalistas”.
Ler Mais

____________________________

Dois jornalistas foram agredidos

A notícia de agressão dos jornalistas na Guiné Bissau, por homens de Kumba Ialá mereceu uma nota no Diário de Notícias. Segundo o jornal luso, “dois jornalistas guineenses foram ontem agredidos por apoiantes de Kumba Ialá quando tentavam entrevistar o ex- -chefe de Estado, momentos após este ter votado nos subúrbios de Bissau. Mama Sané, do jornal Gazeta de Notícias, e Fulgêncio Mendes Borges, do semanário Kansaré (publicações privadas), foram impedidos de se aproximarem de Kumba pelos seus guardas. Segundo Mama Saliu, um dos responsáveis pela segurança do ex-presidente terá dado ordens para “escorraçar” os jornalistas do local, por serem “uns chatos e inimigos do partido”. Seguiram-se os insultos, que terminaram em agressões físicas os dois jornalistas foram alvo de murros e pontapés, tendo Fulgêncio Mendes sido o mais visado. Saliu denunciou ainda o facto de terem sido retirados a Mendes o material de reportagem, a bicicleta e o telemóvel. O sindicato dos Jornalistas e Técnicos de Comunicação Social condenou o incidente e prometeu para breve uma tomada de posição”.

__________________________

Sobre as eleições na Guiné Bissau

De acordo com o Expresso África, “o presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE) da Guiné-Bissau indicou à agência Lusa que a votação presidencial decorreu no domingo sem incidentes e que a taxa de participação ronda os 80 por cento.
Malam Mané acrescentou ontem que os primeiros resultados serão conhecidos dentro de «quatro ou cinco dias», lembrando, contudo, que a lei eleitoral guineense prevê sete a 10 dias para a publicação definitiva dos resultados gerais do escrutínio presidencial”.

__________________________

NÓS MEDIA VAI LHE DAR A LIGAÇÃO PARA OS PROJECTOS POLÍTICOS DOS DIFERENTES CANDIDATOS ÀS ELEIÇÕES NA GUINÉ BISSAU

___________________________

O Projecto de Nino Vieira

“O candidato João Bernardo Vieira, contextualizou o período das eleições. Diz que as eleições serão realizadas num contexto de “progressiva perda de credibilidade interna e externa”, na sequência de sobressaltos político-militares que marcaram os últimos anos e que caracterizam o clima da instabilidade política e da ausência da paz social: O candidato independente observa ainda que essas eleições são realizadas num clima de crescente deterioração do ambiente económico e de negócios e consequentes efeitos negativos no restabelecimento da normalidade da vida económica e empresarial do país”.

Mais Informações em http://www.guine-bissau.com/portal.aspx?link=public/viewnews.ascx&menuindex=0&newsid=2253

_________________________

O Pojecto de Kumba Ialá

Um Movimento que lutou para a revogação da sua carta de renúncia e para a aprovação da sua candidatura pelo Supremo Tribunal de justiça. Um Movimento que ao longo dos últimos 10 meses falou em nome de Koumba Yalá mais do que PRS. O referido Movimento, dispõe de “Manifesto Político” tem por natureza apresentar à sociedade civil, através desta candidatura, de uma forma exaustiva e em nome da Paz, da Tranquilidade, da Estabilidade, da Unidade e Concórdia Nacional princípios, medidas e propostas que irão nortear a campanha eleitoral de Koumba Yalá, e, na eventualidade, o seu mandato presidencial, que esperamos venham a produzir uma mudança e renovação profundas na nossa sociedade.

Mais informações em http://www.guine-bissau.com/portal.aspx?link=public/viewnews.ascx&menuindex=0&newsid=2254

__________________________

O Projecto de Idrissa Djaló

No seu manifesto político, faz uma retrospectiva de um país que conseguiu a sua independência depois de 11 anos de sacrifícios, sofrimento, sangue e lágrimas. Uma independência possível graças àquilo que chamou de “personalidade fascinante de Amílcar Cabral” e a coragem demonstrada pelo povo guineense.

Mais informações em http://www.guine-bissau.com/portal.aspx?link=public/viewnews.ascx&menuindex=0&newsid=2245

__________________________

O Projecto de Empossa Ié

Com uma radiografia geral daquilo que é a Guiné-Bissau, onde refere que 90% da sua população activa se encontra no campo, o candidato independente, aponta a instabilidade política, como um dos grandes problemas que afectam o país. Esse facto é motivado pelo incumprimento dos deveres por parte dos políticos, como sujeitos intermédios entre o poder e os cidadãos. Em consequência disso, os cidadãos eleitores perderam confiança na classe política.

Mais informações em http://www.guine-bissau.com/portal.aspx?link=public/viewnews.ascx&menuindex=0&newsid=2244

__________________________

O Projecto de Malam Bacai

Nessa agenda, Bacai propõe a construção de um Estado democrático, moderno e laico. Um Estado que promova a dignidade do homem e igualdade de oportunidades, a igualdade entre homem e mulher, atento aos valores da solidariedade. Um Estado presente em todo o território nacional, com autoridade e dignidade, mas amigo e parceiro do cidadão.

Mais informações em http://www.guine-bissau.com/portal.aspx?link=public/viewnews.ascx&menuindex=0&newsid=2246

__________________________

O Projecto de João Tatis Sá

candidato João Tatis Sá promete ser presidente de todos os guineenses para defender a paz, harmonia, estabilidade coesão nacional, desenvolvimento, bem-estar social político e cultural desse mesmo povo. Se for eleito, promete cumprir e fazer cumprir a Constituição e todas as leis que contribuam para a normalização política do país.

Mais informações em http://www.guine-bissau.com/portal.aspx?link=public/viewnews.ascx&menuindex=0&newsid=2252

__________________________

NÓS MEDIA espera que estas eleições sejam uma reviravolta na caminhada política dos nossos irmãos guineenses e que, em breve, o país encontre o caminho da paz, da estabilidade e do desenvolvimento.

Expresso das Ilhas Activa o seu Segmento na Internet

Junho 20, 2005 às 10:32 am | Publicado em Media & Jornalismo | 1 Comentário

O jornal Cabo-verdiano Expresso das Ilhas volta a dar sinal de vida na Internet. O semanário do arquipélago já tinha estado Online, não produzindo conteúdos especificamente para a Internet, mas disponibilizando os conteúdos que semanalmente são publicados no suporte impresso para o campo do digital.

Depois de largos meses offline, eis que Expresso das Ilhas volta, novamente, para a Internet, com nova cara. Só ontem tive o contacto com a publicação digital, mas ao que tudo indica, o jornal está a funcionar desde a passada sexta-feira. O caminho para viajar no EXPRESSO é www.expressodasilhas.cv.

Página seguinte »

Site no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.