Jornalista do Congo pede asílio político a Cabo Verde

Fevereiro 15, 2007 às 2:57 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade, Política | 4 comentários

“Tumba Suety encontra-se retido pela Policia Nacional, há oito dias nas fronteiras do Aeroporto Internacional da Praia. Jornalista de profissão, em 12 de Março de 2000 foi nomeado como “Chargé de Comunication” junto do gabinete do adjunto de campo do Chefe de Estado da Republica Democrático do Congo, coronel Eddy Kapend. É acusado de envolvimento no assassinato do Chefe de Estado da República Democrático do Congo, Laurent Desiré Kabila, ocorrido em 16 de Janeiro de 2001 e foi condenado à pena de morte”. [in Liberal]

Anúncios

4 comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. “OS DIREITOS DOS EX CABOS DA FAB RASGADOS”.

    Não adianta o Ministério da Justiça traçar planos através dos Órgãos de Segurança Pública Nacional, para combater os crimes que contraria Leis no Pais, quando a bem da verdade, a Comissão de Anistia que é um setor ligado ao Ministro da Justiça, estar contrariando Leis prejudicando os direitos dos cidadãos brasileiros. È uma berração o Ministro da Justiça por um lado mostrar a face do seu rosto, e por outro lado mostrar a outra bem diferente. A Polícia Federal faz seu trabalho investigando e prendendo os infratores da Lei, o qual combate o contrabando de pirataria, armas de fogo, de drogas, tráfico de mulheres, tráfico de influencias, crimes pela Internet e outros, entretanto não temos nenhum Órgão Governamental que interessa investigar os crimes praticados pelos Ex Comandantes da Aeronáutica, Marinha e Exército, que por perversidade no período da Ditadura Militar, mandaram matar mais de 150.000 (cento e cinqüenta mil) inocentes cidadãos civis insatisfeitos com o Regime Militar, torturaram, espancaram, prenderem os Cabos da Corporação que estavam solidários aos civis. Expulsaram e excluíram sumariamente todos os Ex Cabos pela Portaria 1.104/Gm3/1964, evidentemente contrariando toda a estrutura da Lei do Serviço Militar, que regula os Estatutos do Militares comuns as Forças Armadas.

    E em pleno Século XXI com advento da Lei 10.559/2002, o Ministro da Justiça que é uma Autoridade que deveria dentro dos princípios da legalidade, cumprir a Lei da Anistia Política que ampara os direitos dos Ex Cabos da FAB, por abuso de poder arbitrariamente pisoteia a Constituição de 1988, atropela a Lei 10.559/2002 fazendo julgamentos através da Comissão de Anistia, imperfeitos injustos e desleais com aspecto político, fugindo totalmente da esfera jurídica. Pergunto, onde estar o Ministério Público Federal, a Comissão dos Direitos Humanos, a Secretaria Especial dos Direitos Humanos para cobrar do Ministro da Justiça e o Comando da Aeronáutica, o cumprimento da referida Lei? Cadê os Direitos dos Ex Cabos que efetivamente foram cerceados Inconstitucionalmente por estes dois Órgãos?

    Apesar de estarmos com a idade avançadas, precisamos urgente da atuação dos setores governamentais guardiões das Leis, para não deixarem essas autoridades perversas continuarem prejudicando os direitos de todos os ex-militares da FAB, com um comportamento de crueis “DITADORES MILITARES”, abandonando os idosos Ex Cabos que efetivamente foram vítimas da Portaria 1.104/Gm3/1964, o qual não foi reconhecido pela a política insensata e desleal do Presidente Lula, que vai tentar empurrar com a barriga os quatros anos restante do seu mandato, e mais uma vez espezinhando os direitos dos Ex Cabos, levando todos ao caminho da sepultura, para proteger o abarrotado cofre público da União, engordando os supersálarios dos políticos de um lodo geral, com a Lei 10.559/2002 que assegura os direitos dos veteranos Ex Cabos, totalmente descumprida em sua gestão.

  2. É um absurdo o Presidente da República escolher um Ministro da Justiça, que fez uma faculdade de direito em 5 anos, e que no exercício do poder deveria exercer sua pasta como defensor da ordem e da legalidade com a mais lídima costumeira justiça, sobre tudo em defesa dos Direitos Constitucionais dos cidadãos, acaba por excesso de autoridade invertendo os papeis, pisoteando a nossa Constituição brasileira, passando por cima de Leis, o qual foi ante ético com a sua própria formação universitária em Direito, onde no juramento de turmas, todos fazem para defender e respeitar as Leis e a Constituição do nosso País, em defesa dos direitos de quem quer que seja. Deveria receber um título merecido de “Ministro da Injustiça”, “Autoridade do Mal”, “Advogado do Diabo” “Homem sem Lei”, “Fiscal Cruel” “Poncio Pilatos”, “Carrasco de Idosos,” e deveria ser promovido ao posto de General de linha dura do Governo de Lula. Efetivamente o Sr. Márcio Thomaz Bastos como advogado, deveria ser sentir envergonhado de trair o compromisso feito em sua Universidade para o cumprimento das Leis em defesa de qualquer cidadão depois de tomar conhecimento que os Cabos da Força Aérea Brasileira, foram jogados na rua impiedosamente como subversivos sem aplicação da Lei do Serviço Militar.

    Fugindo da esfera de uma autoridade defensora de Lei, acabou anulando os direitos de anistiados políticos dos idosos Ex Cabos assegurado pela Lei 10.559/2002, durante os 4 anos do 1º mandato do Presidente Lula, onde os Ex Militares foram massacrados no período do Regime Militar. Não sabemos mais em quem confiar, pois àquele que vem para lutar a favor do bem contra o mal, acaba lutando a favor do mal contra o bem, contrariando os ensinamentos do nosso Sr. Jesus Cristo. Os Idosos Ex Cabos da Força Aérea Brasileira, agradece o mal que nos causou nos quatro anos deste Governo, uma vez que o Senhor também estar caminhando para a velhice, e posteriormente para a doença, e finalmente a morte, para que fazer tanto mal se não somos eternos, tudo nesta vida é fase, e tudo se acaba ao pó da terra.

  3. O Presidente Lula com 62 anos de idade, o Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos que estar beirando 70 anos e o Ministro da Defesa Valdir Pires que passou dos 70 anos, viveram no repressivo Regime de Exceção e sabem muito bem o que passou no período da Ditadura Militar. O Ato Institucional nº.5 denominando (AI-5), substituiu as Constituições de 1946 e 1967 os quais aqueles que tinham a maneira de pensar com seus comportamentos contrários ao regime, foram duramente penalizados com a perda das suas vidas, outros sendo presos, torturados, perseguidos politicamente, demitidos com a perda dos empregos. Pois o (AI-5) havia fortalecido o poder dos Presidentes Militares, que chegou a ponto de manter vigilância constante sobre a Imprensa, cerceando a liberdade de pensamentos e expressão da população brasileira.

    A diferença o AI-5 e a Portaria 1.104 vigente do Ministério da Aeronáutica é: O (AI-5) Ato Institucional nº. 5 dava suporte ao Presidente da República para governar o País nos moldes de uma Ditadura como aconteceu nos anos de 1964 á 1985, e a Portaria 1.104/Gm3/1964 dava excesso de poderes aos Comandos da Aeronáutica para punir Cabos subversivos e não subversivos, em fim, todos eram penalizados iguais aos regimes de escravidão com torturas, espancamentos, prisões, expulsões e exclusões, e quando se conseguia completar oito anos de efetivo serviço a Pátria, era interrompido a carreira militar e expulsos ou excluídos sumariamente pela Portaria 1.104/Gm3/1964 sem direito a nada, porque dentro do Regime de Exceção dos anos de 1964 á 1979, os Comandos da Aeronáutica atropelaram a Lei do Serviço Militar com 261 Artigos 27 Capítulos e 15 Títulos, e posteriormente ignoraram a Lei 5.774 de 23 de dezembro de 1971 que regula os Estatutos dos Militares comuns as Forças Armadas, os quais se sentiram também fortalecidos pelo o (A1-5), e legislaram o tempo todo sobe a égide da Portaria 1.104/Gm3/1964, perseguindo e punindo aleatoriamente todos militares subordinados, os quais o AI-5 e a portaria 1.104, foram ferramentas nocivas desleais, danosas e criminosas nas mãos dos Ditadores militares, onde apunhalou todos os Militares da FAB covardemente pelas as costas, e hoje o Presidente Lula após 4 anos sabendo de tudo, ainda continua aceitando injustas imposições do Comando da Aeronáutica junto com o cruel Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, os quais ainda insiste em continuar contrariando a Lei 10559/2002 que assegura os nossos direitos Constitucionais.

    É descabível A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça anistiar quase três mil ex Cabos da FAB pré 1964, e discriminar os pós 1964 com julgamento de dois pesos e duas medidas, quando na verdade todos os Ex Cabos foram punidos pela Portaria 1.104/Gm3/1964 em todo o período que perdurou a Ditadura Militar. Até quanto tempo ainda vamos agüentar o descumprimento da Lei? Daqui a quatro anos quando terminar o segundo mandato pelas as nossas idades avançadas, quase todos já sucumbiram, será que é isto que o Presidente Lula quer? Transferir a responsabilidade da União para o moroso Judiciário. Esta conduta de um Presidente que se proclamou democrático, não é justa e nem correta, porque estar dando continuidade perseguições a cidadãos velhos e indefesos, que foram perseguidos politicamente em todo o período da Ditadura Militar, pelos os cruéis Comandantes da Aeronáutica.

  4. É vergonhoso; estamos indignados com aplicação de critérios distintos no âmbito do MINISTÉRIO DA JUSTIÇA; e o COMANDO DA AERONÁUTICA (COMAER), por ser duas instituições governamentais que estão desrespeitando a Lei de Anistia Política 10.559 de 13 de Novembro de 2002, e não existir nenhum órgão fiscalizador dentro da esfera administrativa, que possa investigar tais irregularidades, e com isto vem demonstrando uma flagrante falta de obediência das Leis e pisoteando a Constituição de 1988, RELEMBRANDO UMA VEZ MAIS A MEDIOCRIDADE E AS AGRURAS DO PERÍODO DE “EXCEÇÃO” INFELIZMENTE OCORRIDO NO PAÍS.
    O GOVERNO precisa entender que ANISTIA é medida de interesse público, inspirada na necessidade da paz social.
    Enquanto não ocorrer a PLENA ANISTIA, enquanto não se cumprirem às NORMAS a ela pertinentes, o Brasil prosseguirá em triste trajetória de País envergonhado. E o pior quem estar freando os direitos dos idosos Ex Cabos da FAB, também são autoridades Governamentais que estão com idades avançadas e com pouco tempo de vida, se referindo ao Presidente Lula, Comandante da Aeronáutica Ten. Brigadeiros Bueno, que tem idade superior a 60 anos, e o Ministro da Justiça que passa dos 70 anos, portanto, mesmo sabendo que podem viver 5 ou 10 anos, e estando quase chegando no fim da estrada, ainda carregam ódio e sede de vingança de pessoas velhas e indefesas, e exemplo dos Ex Cabos da FAB. Que fraqueza de espíritos destas três autoridades, daqui a 5 ou 10 anos as idosas Ex Autoridades, vão ser pó da terra igual aos idosos ex Cabos da FAB! E não levará nenhum bem material para debaixo do chão.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: