Curso Rápido de Iniciação aos Sistemas Políticos-Económicos

Julho 3, 2007 às 11:00 am | Publicado em Política, Revista NÓS MEDIA | 9 comentários

Neste post, trazemos uma leitura irónica da correlação que se pode estabelecer entre as diferentes economias e modelos políticos vigentes ou que já tiveram espaço na governação dos homens. É um texto claramente humorístico, que encontrámos neste site, mas dá-nos uma visão curiosa das economias e dos regimes de diversos contextos. A primeira curiosidade, começa por explicar quase tudo com o exemplo de duas vacas. Vamos lá a elas então…

Corporativismo: Tens duas vacas. O governo retira-te as duas, emprega-te para tomares conta delas, e vende-te o leite ao valor de custo.

Comunismo Puro: Tens duas vacas. Os vizinhos ajudam-te a tomar conta delas, e todos dividem o leite.

Comunismo Russo: Tens duas vacas. O governo retira-te as duas, emprega-te para tomares conta delas, e fica-te com o leite todo. Como tal, tu decides roubar o máximo possível de leite e vendê-lo no mercado negro.

Comunismo Cambojano: Tens duas vacas. O governo retira-te as vacas e fuzila-te, acusando-te de seres um capitalista, criminoso, centralizador dos recursos de produção da Nação, e de fomentares a fome do Povo.

Socialismo: Tens duas vacas. O governo retira-te as vacas e coloca-as num curral, juntamente com as vacas de toda a gente. Tu tens que cuidar das vacas. O governo dá-te um copo de leite.

Democracia Pura: Tens duas vacas. Os teus vizinhos decidem quem deve receber o leite.

Democracia Representativa: Tens duas vacas. Os teus vizinhos escolhem alguém que decidirá quem fica com o leite.

Democracia Americana: O governo promete dar-te duas vacas se tu votares nele. Após as eleições, o presidente sofre um “impeachment” por especular em futuros de bovinos e tu não recebes nada.

Totalitarismo: Tens duas vacas. O governo apreende-as e nega a sua existência. O leite é banido.

Anarquismo: Tens duas vacas. Ou vendes o leite a um preço justo aos teus vizinhos ou eles tentam matar-te e roubar-te as vacas.

Ditadura Sul-Americana: Tens duas vacas. O governo retira-te as vacas e mata-te por ser contra a revolução.

Ditadura Iraquiana: Tens duas vacas e és fuzilado por suspeita de estas serem um instrumento do imperialismo americano com o objectivo único de contaminar todos os rebanhos do país.

Democracia da União Europeia: Tens duas vacas. Ao fim de algum tempo candidatas-te a um fundo comunitário para comprar uma ordenha mecanizada. Gasta-lo no novo modelo da BMW (também é mecanizado!!!, qual é o problema?). Se as vacas dão muito leite pedes um subsídio porque não tens onde o armazenar. Se dão pouco leite pedes um subsídio porque não tens outro meio de subsistência.

Capitalismo Ideal: Tens duas vacas. Vendes uma e com esse dinheiro compras um touro para fazer vaquinhas. Elas reproduzem-se, a exploração é multiplicada e a economia cresce. Depois, vendes a manada e aposentas-te, rico!

Capitalismo Americano: Tens duas vacas. Vendes uma e forças a outra a produzir leite de quatro vacas. E ficas muito surpreso quando ela morre…

Capitalismo Francês: Tens duas vacas. E entras em greve porque queres três.

Capitalismo Canadiano: Tens duas vacas. Usas o modelo do capitalismo americano. As vacas morrem. Então acusas o liberalismo brasileiro e exiges a adopção de medidas proteccionistas para teres as três vacas do capitalismo francês.

Capitalismo Japonês: Tens duas vacas. Redesenha-as para que tenham um décimo do tamanho de uma vaca normal e produzam 20 vezes mais leite. Depois crias desenhinhos de vacas chamados Vaquimon e vende-los para o mundo inteiro.

Capitalismo Italiano: Tens duas vacas. Uma delas é a tua mulher, a outra é a tua sogra, “maledetto”!!!

Capitalismo Enron: Tens duas vacas. Vende três para a tua companhia de capital aberto usando garantias de crédito emitidas pelo teu cunhado. Depois faz uma troca de dívidas por acções por meio de uma oferta geral associada, de forma a conseguires todas as quatro vacas de volta, com isenção fiscal para cinco vacas. Os direitos do leite das seis vacas são transferidos para uma companhia nas Ilhas Cayman, da qual o sócio minoritário é secretamente o dono. Ele vende os direitos das sete vacas novamente para a sua companhia. O relatório anual diz que a companhia possui oito vacas, com uma opção sobre mais uma. Tu vendes uma vaca para comprares um novo presidente dos Estados Unidos e ficas com nove vacas. Ninguém fornece um balanço das operações e o público compra o esterco.


Capitalismo Britânico: Tens duas vacas. Ambas são loucas, mas a família real mantém as aparências perante a imprensa.


Capitalismo Holandês: Tens duas vacas. Elas vivem juntas em união de facto, não gostam de bois e tudo bem!


Capitalismo Alemão: Tens duas vacas. Elas produzem leite regularmente, segundo padrões de quantidade e horário previamente estabelecido, de forma precisa e lucrativa. Mas o que tu querias mesmo era criar porcos.


Capitalismo Russo: Tens duas vacas. Conta-las e vês que tens cinco. Contas de novo e vês que agora já tens 42. Contas de novo e afinal apenas tens 12 vacas. Paras de contar e abres outra garrafa de vodka.


Capitalismo Suíço: Tens 500 vacas, mas nenhuma é tua. E cobras por guardares as vaca dos outros.


Capitalismo Espanhol: Tens muito orgulho de ter duas vacas.


Capitalismo Português: Tens duas vacas. E reclamas porque a tua manada não cresce…


Capitalismo Chinês: Tens duas vacas e 300 pessoas tirando leite delas. Gabas-te de teres pleno emprego e alta produtividade. E prendes o activista que divulgou os números.


Capitalismo Hindu: Tens duas vacas. E ai de quem tocar nelas.


Capitalismo Argentino: Tens duas vacas. Esforças-te para ensinar as vacas a mugirem em inglês. As vacas morrem. Entregas a carne delas para o churrasco de fim de ano do FMI.


Capitalismo Brasileiro: Tens duas vacas. Uma delas é roubada. O governo cria a CCPV ‑ Contribuição Compulsória pela Posse de Vaca. Um fiscal vem e autua-te, porque, embora tenhas recolhido correctamente a CCPV, o valor era pelo número de vacas presumidas e não pelo das vacas reais. A Receita Federal, por meio de dados também presumidos da tua produção de leite, queijo, sapatos de couro e botões, presumia que tu tivesses 200 vacas e para te livrares da “encrenca”, dás a vaca restante ao fiscal…

Anúncios

9 comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Mui bom, gostei bastante. Passei um bom momento a rir.

    Abraços

  2. Um abraço, Ivan. Também passei momentos divertidos a ler aquilo.

  3. Muuuuuito bom! Excelente!

  4. Muito bom! Levei para o meu blog também.
    :mrgreen:

  5. Fico feliz por saber que gostaram.
    Abraços.

  6. hiking

    As you are searching for camping pages and info, be certain to utilize everyone of the sources at your disposal.

  7. Gostei…Volte com mais. O “Italiano” e o da”Enron” foram os que me chamaram a atencao. Genial e (+-)correspondem a realidade “deste nosso tristonho mundo politico”(a caminhar para o que ja era “Global”). Disse “para o que ja era”porquanto “DEUS FEZ UM MUNDO (seriamente GLOBAL) E OS HOMENS “Se ocuparam em separa-los com toda a especie de justificacoes”,para AGORA declararem ‘A INTENCAO DE CONVERTER, novamente, ESTE MUNDO EM “um mundo Global”.Foi apenas um “desabafo”para evitar que me estoire(Puff…).Mantenhas de “NANA DY PALA LOPY”

  8. IVAN POR QUE VOCE RIU??

  9. MUITO BOM ECELENTE,!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: