Feliz 2008 a todos os visitantes

Dezembro 29, 2007 às 6:21 pm | Publicado em Revista NÓS MEDIA | 2 comentários

Anúncios

SUBRINHA KI N KRE TXEU

Dezembro 29, 2007 às 6:20 pm | Publicado em Cânticos e Poesia | Deixe um comentário
Agradecemos ao autor o envio do poema que acabámos de dar à estampa, com votos de Feliz 2008. 

Subrinha,

Na merkanu bu skrebe-m
na berdianu N ta risponde-bu
so es falar nes universu
e fiel skultor di nha alma

Es papia-m di bu amor
pa umanus, patrisius i familia
N ka ntendeba dretu
onti N tra midida
di tamanhu bu kurason
seriedadi bu sentimentu

Sin,
bu fotu e konpustura
pa tudu videntis
Ramos bu pega
formozura nos familia
postura nos rasa

Kaligrafia janota
altura bu disiplina
stabilidadi bu konsentrason
ditalhi bu amor

Tras des letras rodondu
bu dosi vos
molda bu pensamentu
vivifika nha mimoria
gratu i distanti

Sodadi e txeu
distansia e grandi
mas grandi e Dios
mas largu e Mundu
nos odjus ta bira kuatru
na skina di tenpu
tudu sta na Se mon!

Deus obi-m es presi
dirama txeu alegria
di grandeza se dizeju
largura se enpenhu
riba se meigu kurason
nes Nobu Anu !

Marsianu nha Ida padri Nikulau Ferera

Feliz Natal

Dezembro 22, 2007 às 5:59 pm | Publicado em Revista NÓS MEDIA | 2 comentários

Morreu o jornalista Manuel Delgado

Dezembro 20, 2007 às 5:53 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário
Morreu, na tarde de hoje, no Hospital Agostinho Neto (Cidade da Praia), o decano dos jornalistas cabo-verdianos, Manuel Delgado, vítima de doença prolongada. Natural da Ilha de Santo Antão, Manuel Delgado passou por vários órgãos de comunicação social de Cabo Verde e Portugal, tendo passado os seus últimos anos a tentar viabilizar um projecto de jornal electrónico (www.paralelo14.com), que começara com sucesso integrado nas plataformas empresariais da TudoDirecto.Com, acabando por vir entrar em queda com a saída do grupo. No próximo Sábado, completaria 58 anos.

O semanário digital
A Semana traça o percurso do homem e do jornalista: “Jovem e estudante em Portugal, Manuel Delgado abraçou nos anos 60 a causa da independência de Cabo Verde, tendo sido preso quando ia dar o salto para França, onde contava juntar-se ao PAIGC. O 25 de Abril de 1974, data que marca o fim da ditadura em Portugal, encontra-o preso em Lisboa. É solto nessa altura, seguindo depois para Cabo Verde.Com a independência de Cabo Verde em 1975, MD abraça o jornalismo tornando-se num dos mais sólidos homens da pena que Cabo Verde já pariu, tendo dirigido os jornais «Voz di Povo» e «Tribuna», além de outros órgãos.

Autor de textos sublimes, que a história da imprensa cabo-verdiana há-de registar em lugar de honra, o homem e o jornalista souberam captar o espírito do seu tempo, dando-lhe sempre tons e cores brilhantes, longe, bem longe do cinzentismo dos dias e das mentalidades. Aliás, MD sempre foi homem de personalidade, ideias, convicções e temperamento fortes, o que aliado a uma grande cultura geral e vivência davam-lhe mais força na hora de defender o que achava justo. Sempre com paixão!

Controverso e frontal, MD protagonizou por isso várias polémicas. Além do jornalismo, MD teve também uma passagem pela diplomacia, além de ter trabalhado na Chefia do Governo com Pedro Pires nos anos 70 e 80, altura em que se muda para Portugal, onde colabora com os jornais «África» e «Expresso». Cumprindo uma promessa que fizera a si próprio, regressou a Cabo Verde depois da vitória do PAICV em 2001, fundando por essa altura o jornal on-line «Paralelo 14».

O corpo de Manuel Delgado vai ser velado na casa do irmão António Pedro, na Terra Branca, e o seu funeral deverá acontecer amanhã, na Várzea. E, nesta hora, o colectivo de «A Semana» rende a sua homenagem ao extinto, apresentando os seus sentidos pêsames à sua família. Que a terra lhe seja leve”.

Cabo Verde vai ter Sindicato dos Jornalistas

Dezembro 13, 2007 às 6:04 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

Num contexto de transformação do sector da comunicação social cabo-verdiana, com a entrada – em força – dos privados em mercados como a televisão e a imprensa escrita, os jornalistas já tomaram consciência que a Associação dos Jornalistas de Cabo Verde (AJOC) não está a conseguir resolver os seus problemas e partem para um novo modelo de organização, criando uma estrutura sindical. A Assembleia Constituinte do próximo sábado, a acontecer no Palácio da Cultura Ildo Lobo (Cidade da Praia), vai criar bases institucionais para a edificação do Sindicato dos Jornalistas de Cabo Verde.
Lembremos que a questão da criação de um Sindicato que agregasse os profissionais da informação esteve em cima da mesa, no curso da década de 90, altura em que os jornalistas lutavam freneticamente para a efectivação da liberdade de imprensa, mas concluiu-se pela não criação da estrutura sindical, invocando-se a falta de condições institucionais. Porém, o projecto agora é retomado, com algum vigor.
O diário electrónico
Liberal On-line realça que, “num momento em que se assinala o incremento da Comunicação em Cabo Verde, os jornalistas tomam consciência da necessidade de se organizarem num sindicato, tanto mais que a “explosão” havida na área da Informação no último ano trouxe consigo novos problemas: há mais jornais impressos, jornais online, mais estações de rádio e televisão, começam a surgir agências de comunicação. Com isto, as universidades em Cabo Verde têm estado a formar novos profissionais, que se juntam aos que no Brasil e em Portugal estão a sua fazer os respectivos cursos”.

Rádio do Estado arranca com ‘canal 2’

Dezembro 11, 2007 às 6:24 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

O canal 2 da ‘RCV’ vai dedicar-se principalmente à comunidade juvenil, mas não pretende sair das modalidades de prestação de serviço público imposto constitucionalmente ao Estado de Cabo Verde. O canal ‘RCV Mais’ já iniciou as emissões experimentais e promete fazer ‘mossa’ às estações privadas que têm a juventude como o seu público-alvo, embora não querendo abdicar-se da prestação do serviço público.
Citado pelo extensão digital do semanário
Expresso das Ilhas, o director da RCV, Carlos Santos, assegura que “a ‘RCV Mais’ pretende levar mais serviço público, ou seja, mais música de qualidade, uma informação mais leve com questões de interesse aos jovens, também, outro tipo de conteúdo como desportos radicais, cinema, informática, etc”.
A ‘RCV Mais’, tal como todas as estações cabo-verdianas, irá emitir através do sistema de Frequência Modelada (FM), usando a frequência 95.5, tendo já em formação 4 animadores que prometem uma emissão descontraída capaz de garantir uma boa engrenagem no seio da juventude cabo-verdiana.
Este presente, por não estar embrulhado pelos sapatinhos do Pai Natal, vai ser aberto, publicamente, a quatro dias do Natal no Tabanka Mar, Cidade da Praia.

Futuro da RTP preocupa Luís Filipe Menezes

Dezembro 10, 2007 às 7:51 pm | Publicado em Media & Jornalismo, Política | Deixe um comentário

«Luís Filipe Menezes, o líder do principal partido da oposição, está preocupado com a substituição da administração do canal público de televisão, temendo a sua eventual gover- namentalização. Discursando, durante 45 minutos, num jantar que juntou perto de 450 militantes e autarcas do partido do concelho de Cantanhede, o presidente do PSD queixou-se do tratamento da estação pública, contestando que exista “um dirigente socialista nacional sempre a fazer a leitura política da semana e não se dê a possibilidade de um dirigente nacional do PSD” de fazer idêntico papel. “Isto tem de mudar na televisão pública”, assinalou Menezes, dizendo que este programa [as “Notas Soltas”, de António Vitorino] “é um patamar da propaganda do Governo”.Ao reportar-se, em concreto, sobre a substituição da administração da RTP, Luís Filipe Menezes estranhou não haver um reconhecimento público por parte do Executivo liderado por José Sócrates quanto à equipa que agora deixou de comandar os destinos da RTP: “Por obter resultados de gestão tão positivos, gostaria que houvesse humildade do engenheiro José Sócrates em vir elogiar uma medida do Governo PSD, a de reestruturação da RTP, do trabalho desta administração nomeada PSD, que saneou financeiramente a empresa, deu-lhe um património que lhe deu um enquadramento do ponto de vista logístico-organizacional”». [in DN]

PORTUGAL: pirataria televisiva dá cadeia

Dezembro 10, 2007 às 7:45 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | Deixe um comentário

Pela primeira vez a pirataria televisiva foi condenada em Portugal. Dois indivíduos com uma loja em Valongo viram o tribunal local aplicar-lhes, na semana passada, a pena de oitenta dias de cadeia efectiva por vender satélites para canais de televisão por cabo com a chaves de acesso, sem pagar, aos os canais fornecidos pelos operadores.A decisão de os levar a tribunal partiu da TV Cabo, que também apresentou queixa contra mais 250 piratas – cujos julgamentos deverão começar em breve – acusados de fornecer chaves de acesso a canais codificados.Para estancar os crimes de pirataria e de usurpação de direitos de autor, aquela empresa investiu, em Outubro do ano passado, cerca de 15 milhões de euros, ao modificar o sistema analógico para o digital. [in JN]

CONFERÊNCIA NA UNIPIAGET: “Objectividade jornalística – mito ou realidade?’

Dezembro 10, 2007 às 7:35 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

“A Universidade Jean Piaget vai acolher na próxima quarta-feira, 12, pelas 14h30, uma palestra a ser proferida pelo jornalista e investigador do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho-Portugal, Carlos Sá Nogueira. “Objectividade Jornalística: Mito ou Realidade?” é o tema da palestra aberta ao público, sobretudo aos membros da comunidade académica.
À volta desta questão que vai estar no centro do debate, vai ser abordada, também, a problemática da objectividade jornalística, numa altura em que se fala muito no conceito do conceito: jornalismo cidadão, segundo o palestrante, Carlos Sá Nogueira”. [
in Expresso das Ilhas]

Responsáveis pela imprensa dos PALOP na Holanda sentam-se à mesma mesa para discutirem problemas comuns

Dezembro 10, 2007 às 7:32 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

“Decorreu, no passado dia 6, na sede da Fundação Avanço, em Roterdão, um encontro de representantes das organizações dos mídias dos PALOP, sediados nesta cidade holandesa, para discutir os problemas comuns e o modo de garantir a sua sobrevivência. Resultou desta uma proposta de base com ideias concretas para solicitar ao Município de Roterdão a atribuição de qualquer subsídio às organizações das mídias dos PALOP aqui existentes.
A Fundação Avanço foi a organização escolhida como intermediário para identificar as organizações de mídia, auscultar opiniões e ideias, recolher os subsidios necessários de forma a poder elaborar uma proposta de peso, com fundamentos e critérios sobre a importância dessas organizações”. [
in Liberal On-line]

Página seguinte »

Create a free website or blog at WordPress.com.
Entries e comentários feeds.