‘Preto e Branco’

Janeiro 31, 2008 às 7:36 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | Deixe um comentário
Via Jornalismo & Comunicação, chegámos ao “Preto e Branco – A naturalização da discriminação racial”, o livro acabado de publicar,  «que resulta da tese de Doutoramento de Rosa Cabecinhas. A autora, premiada em 2004 pelo “Alto Comissariado para a Imigração e as Minorias Étnicas”, estudou sobretudo o contributo da Psicologia Social para o entendimento do fenómeno do racismo. É seguramente um livro que se recomenda também a quem se preocupa com a reprodução de estereótipos e mecanismos de discriminação racial através dos media. [Edição conjunta do CECS e da Campo das Letras]».
Rosa Cabecinhas é docente do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho, onde lecciona várias cadeiras, desde Psicologia a Métodos de Investigação Científica. Por outro lado, é membro do Centro de Estudos em Comunicação e Sociedade da mesma Universidade. Só nos resta dá-la os merecidos PARABÉNS.

Unipiaget assinala 130 anos do jornal ‘Independente’

Janeiro 31, 2008 às 7:27 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário
“A Universidade Jean Piaget está a assinalar os 130 anos do jornal O Independente. Para tal abre hoje, 31, no hall principal daquela instituição académica uma exposição com números antigos do jornal.
Meia hora depois da inauguração da mostra, às 19 horas, o investigador e professor universitário Manuel Brito-Semedo profere a palestra “O Jornal O Independente – Breve Historial da Imprensa cabo-verdiana” no auditório da UniPiaget.
Dados históricos indicam que o jornal O Independente foi o primeiro jornal não-oficial de Cabo Verde, tendo surgido cerca de 30 anos após o início do funcionamento da imprensa no arquipélago, com o Boletim Oficial do Governo Geral de Cabo Verde, em 1842″. [
in A Semana]

Margarida Fontes regressa à chefia da TCV

Janeiro 28, 2008 às 7:42 pm | Publicado em Media & Jornalismo | 1 Comentário
Desde a saída de Daniel Medina (que neste momento está a derigir o Jornal de Cabo Verde), em Agosto de 2006, a televisão do Estado teve dificuldades em encontrar um novo director, sendo que, na altura, falou-se na possibilidade do jornalista Levy Salomão (rádio pública e RTP África) ir chefiar a televisão nacional. Falou-se também em Rui Almeida Santos, que estava a chefiar o Departamento da TCV em São Vicente, mas, ao que as informações apontam, este acabou por declinar o convite do Conselho de Administração da RTC, que entendeu deslocar-lhe do Mindelo para Praia. Sensivelmente um ano e meio depois (caso para dizer ATÉ QUE ENFIM), já se conseguiu uma direcção para a TCV. Margarida Fontes, do blog Os Momentos, substituiu, desde 1 de Janeiro de 2008, a outra Margarida (de apelido Moreira), que vinha com um ano de meio de direcção interina.
Margarida Fontes tem formação na área da comunicação social, estando já há alguns anos a trabalhar na TV pública, destacando-se sobretudo no jornalismo de matriz cultural. Já foi directora da estação nacional, pelo que esta é a segunda vez que assume o cargo. Mais informações, no jornal
Expresso das Ilhas.

A História é a cena e Tarrafal é o palco

Janeiro 24, 2008 às 3:53 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | Deixe um comentário
“Júlio Silvão, cineasta cabo-verdiano autor de “Batuque”, vai iniciar as filmagens de “Unidos pela mesma causa” (título provisório) em princípios de Fevereiro. Trata-se de um filme-documentário sobre o incidente do “Pérola do Oceano”, embarcação que em 28 de Agosto de 1970, um grupo de cabo-verdianos intentou desviar para a costa de África no pressuposto de se juntarem ao movimento de libertação nacional, tendo acabado, por vicissitudes diversas, sido presos em Ribeira Barca e alguns deles atirados para o Campo de Concentração do Tarrafal.As filmagens de Silvão vão começar no Arquivo Histórico da Praia e terão continuidade em Chão Bom, podendo ser o documentário (que terá a duração de 52 minutos) um bom pretexto para trazer ao espectador uma visão do que eram as condições prisionais no Tarrafal”. [Liberal On-line]

10 PETALAS KI TA BOIA-NU (pa louva Kabu Verdi i ses Erois)

Janeiro 22, 2008 às 7:45 pm | Publicado em Cânticos e Poesia | Deixe um comentário

Com algum atraso pelo qual pedimos desculpas, publicamos o texto Marciano Moreira, escrito na ocasião da celebração do 35º Aniversário da morte de Amílcar Cabral, que desapareceu de cena a 20 de Janeiro de 1973. Considerado pai da independência nacional, Amílcar Cabral conduziu uma prolongada luta no campo político e militar. Os conflitos sistematizaram-se com a fundação do PAIGC, em 1956. No entanto, Amílcar Cabral não viria a assistir a Proclamação da Independência Nacional, que aconteceu pouco mais de 2 anos do seu desaparecimento físico. “Cabral ca ta mori”… ouve-se por estes dias.

Pela importância que teve na luta pela libertação de Cabo Verde dos aproximadamente 500 anos do regime colonial português, o dia da morte de Amílcar Cabral ganhou lugar na história destas ilhas crioulas como o dia dos Heróis Nacionais.

Agradecemos ao autor pelo envío do Poema.

 

Es fla-m bo e restu
lama dedus nhor Deus
na meiu di Atlantiku spadjadu
frutu sakudidela
na fin di trabadju
 
Es fla-m bu ka ten apelidu
pa ba ta npalia
vizinhu nprista-bu di sel
dja ten tantus sekulu
ki di bo dja bu skese ranja
konfortadu ku nomi trokoladu
 
Es fla-m Deus di Ventu
ku Kes Otu makumunadu
na sul di Djabraba ta ragatxa
txuba pa ta tadja
di beija-bu manenti
 
Es fla-m txeu di nos rais
fuliadu li kontra vontadi
na sekulus butuperiu
skapa pa unha gatu
di noitis sen katxupa
sen rezervas i sen ramus
nen mons amigu
 
Es fla-m un monti kusas
sabi i ka sabi
dretu i tortu
tudu na kurason es baza-m
 
Es fla-m bo ke di nos
kunpadru ku suor i sangi
dor i speransa
i ku ponta txopu
sustedu pa nos Erois
 
N subi na seu
N odja Europa i Afrika
N dixi na txon
N anda Amerika i Azia
N ka kapri bu sodadi
N dizisti di Kanguru i Konpanhia
ka bale pena mas andansas
nha kurason e so pa bo
10 petalas ki ta boia-nu

Marciano Moreira

A Semana destaca Tarrafal como notícia

Janeiro 18, 2008 às 3:22 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade, Media & Jornalismo | 2 comentários
O jornal A Semana On-line traz um olhar sobre o Concelho do Tarrafal, que celebrou, no passado dia 15, o dia do Município e as festas de Nhô Santo Amaro Abade. A reportagem traz um olhar interessante sobre o concelho que outrora já foi uma grande atracção turística em Cabo Verde, vendo hoje as suas potencialidades e serem praticamente desperdiçadas. Entretanto, na conversa que o jornalista do semanário teve com o edil tarrafalense, percebe-se que ainda nem tudo está perdido e que há projectos que, num período não muito longo, podem começar a ser implementados.
O que achamos interessante nessa reportagem é que Tarrafal que raramente é notícia, vai passar a entrar ‘nas prioridades’ do jornal, que promete, “a partir de hoje, uma série de artigos sobre os projectos em carteira, as conquistas e dificuldades deste concelho, que já foi uma referência do turismo em Cabo Verde”. [
A Semana]
Ficamos, a seguir, com a imagem da festa religiosa de Santo Amaro Abade, que pedimos emprestado ao jornal supracitado.

Ponto Final.

Janeiro 18, 2008 às 3:09 pm | Publicado em Media & Jornalismo | 2 comentários

Opinião Formada

O jornal electrónico cabo-verdiano, que recupera o nome do antigo estatal Voz di Povo, chega ao fim. A notícia foi avançada pelo próprio e assinada pelo seu proprietário Amílcar Tavares que afirma que, por falta de tempo, a publicação estaria ‘descontinuada’ desde 21 de Dezembro passado. A informação não deixa uma réstia de esperança de que o jornal volte a funcionar, uma vez que Amílcar Tavares informa que, a partir de 1 de Junho de 2008, o site passará a estar offline.
Na hora da despedida, Amílcar Tavares agradece: “A todos que apoiaram e acreditaram neste projecto, o meu mais sincero agradecimento” [
Voz di Povo On-line].

Dadá: mais uma editora em Cabo Verde

Janeiro 18, 2008 às 2:58 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | 3 comentários
Mais livros em Cabo verde“Mais uma editora aparece em Cabo Verde. Chama-se Dadá e oficialmente apresentada na próxima sexta-feira, no Palácio da Cultura Ildo Lobo, cidade da Praia. Dada foi um poderoso movimento nascido na Suiça, que marcou a cultura europeia no primeiro quartel do século XX, tendo como expoente máximo Tristan Tzara”. [Liberal On-line]
A editora resulta do esforço de Giordano Custódio, director da rádios Praia FM e Rádio Morabeza, e do seu pai, o escritor Osvaldo Osório. Com esta iniciativa, aumenta a oferta deste tipo de serviço. O mercado das editoras ainda cresce timidamente. A Alfa Comunicação, que publica a revista Iniciativa e o jornal A Nação, tem feito algum trabalho nesse sentido, a par da empresa detentora do título Artiletra. De resto, o país conta com a Editora Ilhéu, o Instituto do Livro, a Spleen Edições e pouco mais.

TV: quando é que as privadas entram em funcionamento?

Janeiro 10, 2008 às 7:54 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário
Confesso que já andava a perguntar, quando é que as televisões privadas (para além da TIVER, que se diz que está a fazer um bom trabalho. Não excluo a Record porque ainda não começou a apostar na produção nacional) vão entrar em funcionamento. O anúncio dos vencedores do concurso estava para ser feito em
Dezembro de 2006, mas só se conheceu os vencedores em Janeiro de 2007. Daí, teriam 6 meses para entrarem em actividade. Como montar uma empresa de televisão decente não é como fazer um barzinho na esquina, os vencedores teriam mais seis meses de prorrogação, caso não conseguissem cumprir o prazo inicial. Um ano, já é bom, para quem tinha o projecto bem feito. No entanto, eu perguntava: quando é que as televisão entrarão efectivamente em funcionamento? Já vamos em Janeiro de 2008. No entanto, hoje o Expresso das Ilhas esclareceu-me a dúvida. Trazemos abaixo um interessante artigo que o jornal trouxe hoje sobre a temática.

“As quatro empresas que, em Janeiro de 2007, venceram o concurso público para atribuição de licenças a estações de televisão em sinal aberto têm até 5 de Abril de 2008 para estarem no ar, caso contrário, perdem o alvará. Esta informação foi avançada ao Expresso das Ilhas on-line, por fonte governamental.
“Se até 5 de Abril deste ano, as televisões não estiverem a cumprir os requisitos iniciais, o governo vai entrar com um processo de ‘cassação’ dos alvarás”, adiantou a fonte, sem contudo avançar se as excluídas do concurso poderão ser readmitidas ou não.
Contudo, das quatro televisões que venceram o concurso – TIVER, RTI, Record Cabo Verde (nível nacional) e Nôs TV (regional), só a TIVER parece estar a adiantar no terreno. Neste momento, a Televisão Independente de Cabo Verde, TIVER, transmite oito horas de emissões diárias para toda a ilha de Santiago, arredores do Fogo e Maio, sendo que tem como meta, até fim de Janeiro, estar a emitir nas ilhas de São Vicente e Sal.
Conforme, fonte da Tiver, a televisão que é uma parceria privada luso-cabo-verdiana, pretende cobrir mais de 80 por cento do território nacional até o fim de 2008 e que o canal, tem privilegiado qualidade na sua programação destacando temas político-sociais e culturais do arquipélago vincando e veiculando as características da população.
A Rede Record Cabo Verde, que já anunciou várias vezes a emissão de programação local, continua a veicular os programas da Record para Europa e para África.
Entretanto, uma fonte garantiu a este portal digital que nos últimos dias têm-se verificado uma movimentação na sede da empresa em Palmarejo, cidade da Praia, com a chegada de diversos técnicos brasileiros e portugueses a correrem contra o tempo para solucionar alguns “erros” cometidos na montagem da régie e dos estúdios, mas que o problema deverá ficar resolvido antes de Fevereiro.
De acordo com a mesma fonte, as pretensões da Record Cabo Verde são vastas e o presidente da empresa a nível internacional já prometeu estar no país para acompanhar de perto a abertura da filial e que até Março a programação local estará no ar, com três noticiários produzidos a partir de Cabo Verde (um de manhã, outra a hora do almoço e um outro à noite), bem como programas de entretenimentos feitos no país.
RTI e Nôs TV estão mais atrasados, sendo que a televisão de propriedade de Jorge Spencer Lima, conhecido no meio como Scapa, ainda, nem sequer começou a montagem de equipamento, o que se sabe é que o canal tem um terreno para construção do edifício, em Achada Grande, cidade da Praia.
Já o canal regional Nôs TV, que tem de transmitir para as ilhas do Maio, Santiago, Fogo e Brava, os trabalhos no edifício, onde vai ficar instalado em Terra Branca, cidade da Praia, estão na fase final e segundo um dos responsáveis do projecto, o dono da empresa, Mário Vaz, que se encontra nos EUA, deverá chegar a Cabo Verde nos próximos dias para dar iniciar os trabalhos de montagem dos emissores.
A fonte, garantiu ainda que no dia antes de 5 de Abril de 2008, as emissões de Nôs TV estarão no ar e que vai respeitar o proposto, ou seja, uma emissão das 6 horas das manhã às duas da madrugada com uma programação a ser “dominada” pela cultura e informação das ilhas.
Recorda-se que a TV Global e TV Lakakan foram as duas empresas que ficaram de fora do concurso, os responsáveis da TV Global recorreram ao tribunal, mas entretanto, ainda, aguardam o resultado do processo”.
Devida vénia ao Expresso das Ilhas. 

site na WordPress.com.
Entries e comentários feeds.