Novas televisões, novos desenvolvimentos

Abril 8, 2008 às 6:31 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | 1 Comentário

«O prazo para as quatro empresas que em Janeiro do ano passado venceram o concurso público para atribuição de licenças a estações de televisão em sinal aberto terminou no sábado, 5 de Abril. Das quatro, só duas estão a emitir – a Televisão Independente de Cabo Verde, Tiver, e a Record Cabo Verde. A Rádio e Televisão Independente, RTI, de Jorge Spencer Lima “Scapa” e Nôs TV, de Mário Vaz são as outras duas empresas que ainda não arrancaram.

Os responsáveis dessas estações de televisão já enviaram à direcção-geral da Comunicação Social as justificativas do não cumprimento do prazo estipulado no alvará. Mário Vaz de Nôs TV, disse que o edifício onde vai funcionar a televisão regional foi construído em Terra Branca, Praia, e que no local não há energia eléctrica.

“A Electra nos informa que não tem capacidade para levar energia àquela zona, por isso, enviamos uma carta a direcção-geral da Comunicação Social solicitando mais um mês para estarmos no ar”, disse Mário Vaz.

Também, “Scapa” nos garantiu que as justificativas já foram endereçadas a DGCS, mas não quis adiantar o conteúdo da carta. As missivas que estão em poder do director-geral da Comunicação Social vão agora seguir para tutela, a ministra – adjunta do primeiro-ministro, Sara Lopes, que vai dizer se o governo vai entrar com um processo de ‘cassação’ dos alvarás como estipula a lei.

Recorda-se que a TV Global e TV Lakakan foram as duas empresas que ficaram de fora do concurso, os responsáveis da TV Global recorreram ao tribunal, mas entretanto, ainda, aguardam o resultado do processo.» [in Expresso das Ilhas]

Jogos Olímpicos transmitidos oficialmente em Cabo Verde

Abril 8, 2008 às 6:28 pm | Publicado em Media & Jornalismo | Deixe um comentário

«A poucos dias de completar um ano de existência a CVXTV, empresa de televisão por assinatura arranca amanhã, 8, com a sua promoção de aniversário. O SET TOP BOX, o descodificador de imagem, que antes poderia ser adquirido por 15 mil escudos, agora vai estar disponível por apenas 9 mil escudos. Uma redução de 40 por cento. De acordo com Jaime Magalhães da Cabo Verde Xinnuoli de Serviços de Comunicações Electrónicas e Teledifusão Digital, a promoção decorre as quartas-feiras e sábados das 08h00 às 20h00 e o descodificador pode ser adquirido em prestações de seis vezes por 150 escudos e em 12 por 750 escudos mensais. Mas, a quantia para a assinatura mantém-se.

Jaime Magalhães avança que como esta promoção é direccionada aos novos clientes, os antigos devem contactar a CVXTV para terem uma promoção diferente.

Também, a CVXTV garante que tem todos os direitos de transmissão para Cabo Verde dos jogos Olímpicos de Pequim 2008 e que podem ser acompanhados no canal Fantastic Sport e noutros dois canais, as notícias e reportagens do evento.

Por outro lado, recentemente esteve em Cabo Verde uma delegação da comunicação social da República Popular da China que vai apoiar a empresa de televisão por assinatura a expandir para outros pontos do país e divulgar a cultura chinesa. “Filmes, desenhos animados, documentários e outros eventos chineses vão ser divulgados através da empresa com tradução ou dublagem em português”, afirma Magalhães.

A CVXTV que ainda opera somente no município da Praia dispõe de 19 canais (Al Jazeera Sport 1, TVCi, Fantastic Sport, TCV, Record Brasil, RTPinternacional, RTP África, France24, TV5 Europe, TVE, BBC Word, VH1 – música, Perviy, PTP, CVTV 4, CVX-XXX – adulto, CVX – Criança, CVX – Cine 1 e 2).

Recorda-se que a CVXTV é a primeira a utilizar a emissão DVB (Digital Video Broadcast: Transmissão digital de vídeo) no país, uma tecnologia emergente noutras partes do mundo, sendo Cabo Verde o primeiro país africano a utilizá-la». [in Expresso das Ilhas]

“Comunicação Intercultural: Perspectivas, Dilemas e Desafios”

Abril 4, 2008 às 2:39 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | Deixe um comentário
.
Tem lugar, hoje, no Auditório B1, CP2, Universidade do Minho, uma conferência, realizado no âmbito do «Ano Europeu do Diálogo Intercultural». Intitulada “Comunicação Intercultural: Perspectivas, Dilemas e Desafios”, “esta conferência conta com a participação de investigadores de diversas ciências sociais e humanas, com o objectivo de debater os desafios inerentes à complexa e multifacetada realidade da comunicação intercultural nos dias de hoje”. [in UMinho]

Jornalista Daniel Medina vai defender tese de Doutoramento

Abril 4, 2008 às 2:11 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | 11 comentários
.
O jornalista Daniela Medina, que já foi Director da Televisão de Cabo Verde, sendo actualmente Director do Jornal de Cabo Verde, vai defender, no próximo dia 10 de Abril, a sua tese de Doutoramento em Ciências Políticas, na Universidade de Santiago de Compostela, Galiza – Espanha.
Daniel Medina, natural da Ilha de São Vicente, tem uma vasta experiência nas áreas do jornalismo e da educação. Actualmente, a par de dirigir o Jornal de Cabo Verde, lecciona na Universidade Jean Piaget de Cabo Verde.

Bé, merkanu é ka txakóta nau!

Abril 4, 2008 às 1:41 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | Deixe um comentário

foto

D. Néta nasi na Kabu Verdi. El é di Somada, ilha di Santiagu. Se pai é sanpadjudu di Fogu, di Mustéru, má se mai é badia la di Tarrafal. El é kazadu ku Sr. Furtado. Se maridu nasi na Maiu má el kria na Praia. Es ten sinku fidju: dôs é matxu y três é fémia. Se pruméru fidju txôma Manel António y el nasi na kinzi di nuvénbru di mil noviséntus y oitenta y kuatu. Nómi di últimu fidju di D. Néta é Rosa. Rosa ten dizaséti anu di idadi. El ben Mérka na anu pasadu. Dja ten alguns anus ki se pai, se mai y ses irmuns sta li na Mérka. Dj’es prendi papia inglês y es sta sabi na es térra.
D. Néta dja tra se papel di sidadon Merkanu. Fika-l só pasaporti pa-l tra. Má kel é fásil. É ka ten mutu lida. É só ba kurreius paga un dinherinhu y dipôs es ta manda-l se pasaporti na kaza. Komu dja-l tene tudu pagu, bu podi flâ ma brevimenti el ta teni se pasaporti na bolsu. D. Néta fla: “Mi, dja-m branku dja. Ken ki ka krê dexa. Só N ta reza y N ta pidi Déus pa da-m saudi y libra-m di tudu mal y tudu prigu di mundu. Aian, pa libra-m di bóka fédi tanbê. Pur isu N ta bai misa tudu dia dimingu y N ten un rozadi grandi na kabisera kama. N ten térsu na nha karru tanbê. Mi N ta anda sénpri ku Déus y nada ka ta buli-m.”
Fortunato, sugundu fidju di D. Néta, inda ka tra papel. El sta na skóla y el sta ta studa riju, ku unhas y denti, pa-l odja si el ta konsigi tra di sel tanbê. Gósi li, ken ki ka é sidadon Merkanu ka sta suguru n’es térra. Es podi manda-bu pa bu térra kalker óra.
Rosa, kodé di D. Néta, sta na skóla. El fla-nu ma kel liséu di Brockton é uma grandi! Rosa fla: “Avé, fladu ma la ten más di sinku mil studanti. Krédu! Forti liséu grandi. Konparadu ku k’el la, liséu di Praia é ka nada. Ná, tanbê ten algen txeu na Brockton. Txeu algen ka sabi ma ten sérka di sén mil algen só na Brockton. Kantu ki-m fla nha mai númeru di alunus ki ten na liséu di Brockton, el fika ku bóka abértu y el fla-m: “Ka bu fla! Ná, N ka ta kardita. Otustantu minis ta sta la?” Sin, ten txeu mininus kabuverdianu, aitianu, spanhol, brazileru, angulanu, purtugês, xinês, etc. Kuazi trinta pur séntu di alunus di liséu di Brockton é “minoria”. Y nos é txeu ki ta sta na prugrama bilingi (bilingual Education). N sta kontenti ma nha pai matrikula-m na kel prugrama bilingi la. Si ka fosi kel prugrama la, N ka sabi modi ki N ta fazeba. Inda simé tudu kuza sta ta parse-m stranhu: livrus é só na inglês, kumida di skóla é ka sabi y N ka gosta d’el própi, txeu algen ta papia ku mi y N ka ta intendi kuazi nada, ten uns gentis stranhu y diferenti. Mi, inda N ka ten ninhun amigu la. Ainda pur sima N kumesa aula atrazadu. Purtantu mi, N sta atxa tudu kuza difísil li. Nhas primus ki pudia djudaba mi sta tudu na kulégiu lonji di li. Má N ka ta dizanima. Ku forsa y koraji N ta vensi tudu es difikuldadis.”
D. Néta y Sr. Furtado kunpra boa kaza. Ses kaza fika ben situadu y é kaza di dôs família. Es ta mora di riba y es ta renda di baxu. Es é sabidu. Kel rénda ki es ta resébi ta djuda-s paga banku (mortgage).
Manel António, k’é terseru fidju di D. Néta, ten dôs trabadju. Ti k’el sai di kaza sinku óra di palmanhan, el ta ben txiga kaza kuazi onzi óra noti. Koitadu! Dje-l ta sta kansadu. Má tanbê el ta fazi un bokadu dinhéru. É sin, vida na Mérka é duru má bu ta ten tudu kuza ki bu krê. Ali, kuazi tudu algen ten se kaza sabi, bon karru, etc. Si bu duensi ten bons dotoris, ten bon ospital y tudu más ki é prisizu pa trata un duenti. Alén disu, Merkanus é drêtu y es gosta di kabuverdianus. Agó ti kriolu kabuverdianu, Merkanu sta ta prendi. Bé, Merkanu é ka txakóta nau!
Agnelo A. Montrond
aamontrond@yahoo.com

site na WordPress.com.
Entries e comentários feeds.