História dos Media

A SEMANA
 
Contacto
 
Morada: Palmarejo, Cidade da Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde
Telefone: 262 86 62
Fax: 262 86 61

Em 1991, ano em que a abertura política foi consubstanciado com as eleições de 13 de Janeiro, surgiu o jornal A Semana, depois do PAICV ter perdido o poder para o Movimento para a Democracia (MpD). Trata-se do jornal com maior penetração no mercado mediático cabo-verdiano e tem alguma audiência na diáspora, com particular destaque para a comunidade cabo-verdiana emigrante nos Estados Unidos da América.O jornal A Semana é um semanário generalista que tem um portal na Internet e abrange os diversos sectores da sociedade cabo-verdiana e do internacional. É um dos jornais mais completos, contando com vários suplementos como a Kriolidade, dedicada à cultura; o Cifrão, dedicado à Economia. Tem ainda o suplemento A Semaninha, feito por adolescentes do secundário e dedicado à comunidade adolescente e juvenil.A partir do ano passado, a empresa que detém o jornal A Semana passou a publicar um magazine (A Revista), que abrange vários sectores da sociedade.

EXPRESSO DAS ILHAS
 
Contacto
 
Morada: Ilha Santiago, Cidade da Praia, Terra Branca, Cabo Verde.
Telefone: (+238) 261 98 07
 

O jornal Expresso das Ilhas é um dos três semanários cabo-verdianos, tendo uma publicação na Internet que serve para complementar a publicação em papel. Surgindo em 2001, depois da reviravolta política que recolocou o MpD na oposição, o jornal Expresso das Ilhas tem uma componente política muito forte. Entretanto, é uma publicação generalista, com sede da Cidade da Praia, preocupando-se com os grandes temas que atravessam o trama social. 

LiberalLIBERAL
     
Contacto
 
Morada: Achada de S. Filipe, Cidade da Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde.
Telefone: 00238 993 98 06 
 

O jornal Liberal é um diário essencialmente digital (sem uma correspondente versão em formato papel) que surgiu na paisagem mediática cabo-verdiana no decorrer de 2005. É, actualmente, o jornal electrónico cabo-verdiano com mais actualizações durante o dia, sendo que, nos primeiros meses, depois do seu surgimento, apresentava um fluxo de informação que chegava mesmo a ser impressionante para a rotina informativa em Cabo Verde.No entanto, devemos levar em consideração que é um jornal extremamente opinativo, tendo espaços abertos para colunistas cabo-verdianos, brasileiros e portugueses que, diariamente, publicam textos de análise política e social. Trata-se de um jornal de carácter generalista, que tem abrangência sobre todas as áreas da sociedade. Dos jornais digitais editados, a partir de Cabo Verde, parece ser o que mais atenção dá aos temas internacionais. Isso pode ter a ver com o facto de o jornal ter parcerias com várias empresas informativas (especialmente, a RodaMundo) e também com rede de colaboradores que tem, principalmente em Cabo Verde, no Brasil e em Portugal.

PARALELO 14
 
Contacto
 
Morada: Achada Santo António, Ilha Santiago, Praia, Cabo Verde.
Telefone: (+238) 262 92 63
 
O jornal Paralelo14 é um diário essencialmente electrónico, voltado para a sociedade cabo-verdiana. Já chegou a ser um dos principais jornais electrónicos de Cabo Verde, mas, neste momento, está a atravessar um período de quase inactividade.
O Paralelo14 surgiu em 2003, por iniciativa da empresa TudoDirecto.Com, activo principal da Cabo Verde Telecom para o sector da informática e do comércio electrónico. Entretanto, a partir do princípio de 2005, a TudoDirecto.Com entendeu que, embora o produto fosse rentável economicamente, deixara de ser estratégico para a empresa. Foi assim que se desenhou dois cenários: ou o Paralelo14 desaparecia ou teria de ser alienado para outro proprietário. Foi assim que o único director que o diário electrónico já teve até hoje – Manuel Delgado – conseguiu chegar um acordo com a então empresa detentora do diário digital. A partir de então, Manuel Delgado tornou-se no proprietário e director do Paralelo14. Hoje, o jornal está a atravessar um período de inactividade, não publicando há uns meses.
 
 

VISÃO NEWS

 

Contacto
 
Morada: P.O. Box 5183Fall River, MA 02723 United States

Telefone: +1.508.536.5459                +1.407.470.4039 

O jornal Visão News é um diário electrónico, publicado a partir dos Estados Unidos da América. O seu proprietário e director chama-se Jorge Soares, que foi o primeiro director do jornal A Semana, tendo emigrado, posteriormente. Trata-se de um jornal generalista, que centra as suas preocupações na comunidade cabo-verdiana dos Estados Unidos da América, mas não descura a realidade cabo-verdiana e as notícias sobre Cabo Verde.Associado ao Visão News, Jorge Soares já tentou vários outros projectos, mas não tem tido grande sucesso. Primeiro, tentou implementar o projecto da Rádio 24, que seria uma rádio para os cabo-verdianos residentes no país e na emigração, captável unicamente através da Internet, que estaria a funcionar 24 horas por dia. Seguidamente, surgiu o projecto VShop, uma loja de comércio electrónico, que também não teve grande sucesso. Neste momento, está em curso o projecto TVisão (www.tvpalop.com), que procura racionalizar as capacidades de divulgação de conteúdos audiovisuais através da Internet.


Página PrincipalTARRAFANA NA ZONA
 
Contacto
 
Morada: Rua Fernão Magalhães, nº 4 – 2º B2660-477 Santo António dos Cavaleiros, Portugal.

Tarrafal Na Zona é um portal, que também tem componente informativa, dedicada ao Concelho do Tarrafal e aos tarrafalenses, estejam eles onde estiverem. A iniciativa é de Sara Coimbra, uma jovem que nasceu em Lisboa, filha de pais tarrafalenses, e que procura, através da iniciativa, juntar os tarrafalenses espalhados pelo mundo. Antes, o portal chamava-se Tarrafal.NET, passando depois para um processo de reformulação, adoptando o actual nome.
Devemos levar em consideração que Tarrafal é um concelho que fica situado no extremo norte da Ilha de Santiago, ficando marcado na História de Cabo Verde e de Portugal como a região que acolheu o pior Campo de Concentração do regime de Salazar, para albergar os presos políticos e sociais. Hoje, decorridos alguns anos depois do 25 de Abril e da independência de Cabo Verde, Tarrafal é o simbólico de resistência ao fascismo, sendo também uma bela e turística vila plantada à beira-mar.
 
 
SPORT KRIOLU
 
Contacto
 
Morada: Ilha Santiago, Cidade da Praia, Cabo Verde.
Telefone: (+238) 993 91 25
 
O diário digital SportKriolu é um jornal temático, dedicando-se exclusivamente ao desporto. No próprio portal, pode ler-se: “perseverança e sacrifícios foram consentidos até que este  portal Desportivo de Cabo Verde estivesse no seu convívio. Isso graças, também, à parceria frutuosa e eficaz com a empresa de Comunicação Tudo Directo. Efectivamente, desde 1994 procuramos com tenacidade colocar ao seu serviço um órgão de informação especializada no desporto. No entanto, o esforço despendido não foi coroado de êxito pleno, uma vez que não se conseguiu mais do que seis publicações de um jornal (impresso) desportivo, o primeiro na história da informação desportiva cabo-verdiana.
Essa esperança continua firme e inabalável e, por isso, surge agora este Portal com um estatuto editorial moderno e com uma equipa fiel aos leitores e ao desporto. É um diário! Pode crer. Embora peçamos um pouco de compreensão se surgir alguma irregularidade nestes primeiros passos agora encetados.
O Portal Desportivo de Cabo Verde é um diário de informação desportiva orientado por critérios de rigor e criatividade editorial sem qualquer dependência de ordem ideológica, política, religiosa e económica” (www.sportkriolu.cv).
 
 
 

TERRA NOVA
 
Contacto
 
Morada: 1 Rua da Guiné-Bissau, Mindelo, Ilha de São Vicente, CABO VERDE .
Telefone: (+238) 232 24 42

O jornal Terra Nova, propriedade dos Padres Capuchinhos de Cabo Verde, afirma-se como uma publicação que pretende servir os cidadãos cabo-verdianos, com uma diversidade de informações, “sem pretensões de fazer parte do chamado quarto poder, sem objectivos comerciais, sem dinheiro, sem direito a assento na sala dos grandes, sem a obsessão de emporcalhar a vida dos cidadãos só para vender mais”. Isto porque, “num tempo em que os donos da informação digitalizada até anunciam a morte da informação em papel impresso, a verdade é que este jornal, graças a Deus, está vivo” (www.radionovaonline.com). 
 
 
RÁDIO NOVA – EMISSORA CRISTà

Contacto
 
Morada: Ilha de São Vicente, Cidade de Mindelo, Fonte Filipe, Cabo Verde.
Telefone: (+238) 232 20 83
Fax: (+238) 230 02 77
 
Desde sempre, os capuchinhos sonharam contribuir para o melhoramento da comunicação entre as ilhas. A primeira iniciativa de relevo que apareceu no início dos anos 60 foi a do Padre Pio Gotin com o boletim Repique do Sino, lido em Cabo Verde e na emigração, tanto pelo povo simples como por intelectuais.
Seguiu-se o Jornal Terra Nova, fundado em Abril de 1975, com incursões não somente na área religiosa como também na socio-política.
Entretanto, nos finais dos anos 70, os capuchinhos apresentam ao então Ministro da Justiça um pedido de criação de uma rádio, pedido esse que teve uma resposta negativa, tendo o ministro invocado o facto de as leis não permitirem a existência de rádios privadas, mesmo que fossem da Igreja.
Mas os capuchinhos não desistiram da ideia. Em 1877, tendo verificado que havia no ar sinais de mudança a nível de regime, começaram a trabalhar no projecto. Em 1990 o regime do partido único anuncia abertura política e em 1991 têm lugar as primeiras eleições livres e democráticas no país. Nenhum impedimento de ordem
política ou jurídica impediam o projecto de avançar. Em 17 de Dezembro de 2002, a Rádio Nova mandou para o ar e para todas as ilhas os seus primeiros programas. 17 de Dezembro é, pois, uma data importante não só para os capuchinhos, como também para toda a Igreja e todo o nosso país, visto que pois foi nesse dia que surgiu a primeira rádio privada do período pós-independência (www.radionovaonline.com).
 
 
CRIOULA FM 

Contacto
 
Morada: 3 R Hospital-Plateau, Cidade da Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde
Telefone: (+238) 261 27 46
Fax: (+238) 261 27 75
 
Surgindo no panorama mediático cabo-verdiano, em 2004, pelas mãos da Igreja Templo Maior, a Rádio Crioula FM é um dos mais populares projectos na área da radiodifusão cabo-verdiana. O entretenimento constitui a sua grande aposta, com particular destaque para o sector da divulgação da música cabo-verdiana. Por outro lado, contrariando a tendência da maioria das estações radiofónicas, que tem uma grande aposta na música nacional, a Rádio Crioula aposta fortemente na música estrangeira, não deixando de lado a cabo-verdiana. No site da estação, pode ler-se: “há muito tempo que a Crioula FM vem conquistando o coração dos cabo-verdianos e não há uma pessoa neste país que não a conheça. Com o seu estilo alegre, divertido e atencioso, a Rádio Crioula, a cada dia que passa, atrai mais fãs e anunciantes, tornando-se já como um símbolo marcado em Cabo Verde. A sua organização e seriedade mesclada com descontracção e uma carinhosa atenção disponibilizada aos seus ouvintes são uma das características que colocam hoje a Crioula FM num patamar muito diferenciado das demais rádios” (www.crioulafm.cv). 
  
 
REVISTA MINDELACT

Contacto
 
Morada: Associação Mindelact – Associação Artística e Cultural de Teatro Cabo-verdiano, Cidade do Mindelo, Ilha de São Vicente, Cabo Verde.
Caixa Postal 734
Telemóvel: (+238) 995 10 76
Telefone/Fax: (+238) 232 41 11
 

A Revista Mindelact é uma publicação da Associação Artística Mindelact, que actua no domínio da cultura, especialmente no ramo do teatro. Tem sede na Cidade de Mindelo, em São Vicente, e é a mais importante, senão a única, publicação no ramo do teatro, em Cabo Verde. Devemos levar em consideração que a Associação Artística e Cultural do Teatro Cabo-verdiano é a principal instituição do ramo teatral, no arquipélago cabo-verdiano. Por isso, o papel da Revista Mindelact é de grande importância, não só para o panorama mediático, como para a própria promoção da cultura cabo-verdiana.

TELEVISÃO DE CABO VERDE
 
Contacto
 
Morada: Achada Santo António, Cidade da Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde.
Telefone: (+238) 262 42 05
Fax: (+238) 262 32 06

Tornando-se num país independente, a 5 de Julho de 1975, Cabo Verde viu nascer a sua primeira estação televisiva, cerca de dez anos depois. Assim, a Televisão Experimental de Cabo Verde (TEVEC) entrou em funcionamento, no ano de 1984, seguindo uma lenta evolução, passando a chamar-se TNCV – Televisão Nacional de Cabo Verde. Posteriormente, com a abertura política, em 1990, realizaram-se as primeiras eleições em 1991, que ditaram a vitória do MpD (Movimento para a Democracia) sobre o PAICV, que vinha governando sob o regime de Partido Único. O MpD levou a cabo um processo de reestruturação da comunicação, juntando a então Rádio Nacional de Cabo Verde à Televisão Nacional de Cabo Verde, a partir das quais nasceu uma nova empresa – a Radiotelevisão Cabo Verde – que gere os dois órgãos de comunicação social. Depois do processo de fusão (devemos levar em conta que a fusão aqui é a nível da administração e não da produção, uma vez que cada um dos órgãos continua com a sua produção independente da outra), a rádio nacional passou a chamar-se RTC FM e a televisão, RTC. No entanto, depois do regresso do PAICV ao poder, a partir de 2001, a rádio mudou de nome para a Rádio de Cabo Verde (RCV) e a estação televisiva passou a chamar-se Televisão de Cabo Verde (TCV). A gestão de ambos os meios continuaram sob a alçada da RTC.

 

 

O PERIODISMO CABO-VERDIANO

 

O periodismo cabo-verdiano é alimentado com alguns semanários acompanhados de algumas publicações mensais e, inclusive, um anuário.

Para começar a falar das publicações cabo-verdianas, começo por destacar o Jornal Artiletra, que é uma propriedade privada e é uma publicação bimestral. É um jornal que se dedica exclusivamente à cultura, e que privilegia sobretudo as artes, letras e ideias. O jornal Terra Nova também é uma publicação bimestral, e essencialmente católico e foi fundado em 1975 pelos missionários capuchinhos. É lido nas várias ilhas do arquipélago e, também, na diáspora. O jornal Terra Nova começou por ser um semanário, mas actualmente, devido a algumas dificuldades financeiras, passou a ser bimestral e, com o surgimento de novos jornais, perdeu um pouco o impacto que tinha no seio dos leitores das ilhas.

Com o multipartidarismo e, consequentemente, as eleições legislativas de 1991, que deram a vitória ao partido Movimento Para Democracia (MPD), o partido que até então governava o país (PAICV) procurou novas formas de influenciar a sociedade cabo-verdiana. Neste contexto surgiu o jornal A Semana. Esta justificação foi dada pela directora do jornal, pelo facto de ser considerado o órgão de comunicação social com mais presenças no tribunal de Cabo Verde, acusado de abuso de liberdade de informação e difamação. Trata-se de um jornal generalista, que aborda temas que vão desde à política até à cultura, passando inclusive por matérias que dizem respeito ao entretenimento. A Semana é um dos jornais cabo-verdianos mais lidos, tanto no país como nos Estados Unidos da América, e sai todas as sextas feiras.

A Irforpress é a agência noticiosa de Cabo Verde. Foi fundada em 1998. Para além de desempenhar o papel de agência de notícias, a Inforpress faz a sua própria publicação. Esta empresa surge da fusão de duas empresas distintas e extintas: – a Editora Cabo Verde, S.A.R.L., que foi proprietária do extinto Novo Jornal de Cabo Verde e a agência noticiosa Cabopress.

O mais recente jornal cabo-verdiano é o Expresso das ilhas, iniciativa da Sociedade Media comunicações, S.A. Este jornal conta, também, com uma edição on-line. Segundo o seu estatuto editorial, o Expresso das ilhas é um jornal de informação, independente dos poderes políticos, orientado por critérios de rigor e seriedade. O semanário, que também é um jornal generalista, defende um jornalismo de qualidade e recusa o sensacionalismo.

Também generalistas, contamos com a publicação dos Jornais Horizonte e Novo Horizonte. O primeiro é o único diário das ilhas, e há alguns dias de semana que não sai. O Novo Horizonte, tal como a maioria dos outros jornais de que falei há pouco, também é um semanário.

 

 

HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO SOCIAL

Desde muito cedo, a comunicação tem sido uma arma muito importante no aproximar dos povos, no cruzamento das gerações e no diálogo entre raças e culturas. Actualmente, atingimos um ponto alto de sistemas integrados de comunicação, que desemboca em grandes empresas, com proporções gigantescas, presentes um pouco por todo o mundo, com o auxílio de uma estratégia de marketing bastante agressiva, num mercado onde a concorrência é muito forte.

Para chegarmos ao actual paradigma comunicacional, marcado sobretudo por um grande nível de desenvolvimento no sector das tecnologias de informação e uma crescente concentração de empresas mediáticas, muitos contributos foram dados por homens que, certas vezes, chegaram a desafiar as limitações da época em que viveram, em nome do desenvolvimento da comunidade humana.     

Desde a queimada de lenhas para o levantamento de extensas colunas de fumos no meio do deserto, passando pela inscrição de gravuras nas árvores, muito caminho foi percorrido até que, no ano 868, a China imprimisse o seu primeiro livro. Todavia, a data de 1038, também acaba por ser um período particularmente importante para a afirmação do sector da comunicação social, no seu trajecto histórico, dado que a China apresentou a Tipografia de Caracteres Móveis como um importante instrumento para a subsidiação do processo de interacção social entre os membros de uma comunidade, sociedade, país ou região.

Como podemos ver, os primeiros passos importantes no sentido de dar um perfil moderno à comunicação humana começou a ser dado na China, que, na procura de mecanismos que promovem a interacção social, contribuiu muito para a transfiguração do processo comunicativo. Mas, a grande novidade viria a chegar no século XV: Gutenberg, aperfeiçoando o trabalho desenvolvido na China, apresentou, em 1450, a Imprensa com Caracteres Metálicos Móveis, com capacidade para reproduzir de forma mecânica e massiva materiais impressos, entre os quais, livros, panfletos, jornais e outro tipo de suportes culturais. Desta forma, cinco anos depois, imprimiu-se o primeiro livro do mundo Ocidental, chamado de Bíblia de 44 Linhas por Páginas, por muitos, apelidado de Bíblia de Gutenberg.

Depois da entrada em funcionamento da Imprensa com Caracteres Metálicos Móveis, houve uma conjugação de esforços entre várias entidades, no sentido de implementar-se uma imprensa periódica. Isso levou a que, em 1605, “Les Nouvelles d’Anvers”, assumisse o lugar do primeiro periódico do mundo. Depois desse projecto, em 1631, Théophraste Renaudot idealizou “La Gazette”, que viria a ser um modelo de inspiração para toda a Europa, tendo, em Portugal, assumido o nome de “Gazeta de Restauração”.Sem dúvida alguma, a imprensa de Gutenberg revolucionou toda a comunicação, chegando mesmo a influenciar a psicologia dos leitores e abrindo espaços para novos públicos. Desta forma, o início dos anos 30 do século XIX, tornava-se visível uma baixa substancial nos preços dos jornais, que provocou uma ampliação do espaço público, com a incorporação de novos leitores. A preços mais acessíveis, um número maior de pessoas passaram a ter acesso às notícias escritas. No entanto, a imprensa mecânica vieram a trazer grandes problemas para os escribas, que viram perder os seus postos de trabalho.

Os passos que levaram Nicéphore Niepce a inventar a fotografia em 1822, acabaram por ser bastante importantes, anos mais tardes, abrindo novas possibilidades de apostas nas comunicações social. Assim, começou a surgir a imprensa ilustrada que permitiu que, para além dos textos escritos, a iconografia passasse a ser um instrumento de extrema importância para a comunicação de massa. A revista “L’Illustration” inaugurou a categoria, trazendo os sinais pictográficos para o centro da comunicação humana.

O aparecimento da máquina rotativa de impressão, em 1867, deu um contributo indiscutível para o avanço da comunicação social, propiciando, particularmente, a aceleração do fabrico dos jornais. Também, a criação da “Times”, em 1923, como primeira revista generalista, de publicação semanal, não deixa de ser um período fundamental para o desenvolvimento do processo comunicativo. Esta época foi seguida do processo de informatização dos processos de elaboração dos jornais, contribuindo assim para a melhoria das condições de trabalho dos jornalistas e outros profissionais da comunicação social, o que vai ter um eco muito forte, quer no processo de produção, quer na qualidade do produto.

Com o nascimento das agências noticiosas, consolidou-se, ainda mais, a estratégia global de comunicação, criando fluxos de informação internacional e delineando os fossos que, posteriormente, vieram a acentuar-se entre o Norte e o Sul. De 1832 a 1835, Paris punha em marcha o projecto que acabou por desembocar na agência “Havas” que, durante muito tempo tornou-se incontestavelmente um importante centro decisor da informação internacional. Mas, a procura de influência era tanta que vários outros países traçaram os seus planos no que se refere à globalização da informação e da cultura, começando pela criação e uma agência internacional de informação. Assim, em 1848, nascia, nos Estados Unidos da América, a “Associated Press”. Um ano depois, Berlim criava a “Wolff” e, em 1851, Inglaterra projectou a Reuter que, actualmente, é uma das mais importantes agências informativas do planeta, com um grande poder de influência, quer nos país ricos, quer no chamado “Terceiro Mundo”.

Paralelamente aos avanços registados no sector da imprensa escrita e das agências informativas, tiveram lugar vários passos importantes em outros segmentos da comunicação, que desempanaram um papel preponderante na arquitectura da actual sociedade de informação, amada por uns, durante criticada por outros. O “Telégrafo Óptico” que Claude Chappe inventa em França, em 1793, é um exemplo disso. Vários outros contributos foram dados para a afirmação da área comunicacional: é o caso do aparecimento do “Microfone” e do “Auscultador”, pelas mãos de Charles Bourseul que, em 1850, idealizou a transmissão da voz ou do “Telex”, surgido nos Estados Unidos em 1930. O “Telefone”, cujo mentor foi Graham Bell, não fica de fora dessa lista, dando, em 1876, um impulso adicional à comunicação humana, possibilitando a transmissão da voz a uma distância relativamente longa, com alguma fiabilidade e qualidade sonora.Indubitavelmente, há vários outros segmentos da comunicação humana que deve ser levado em consideração, no estudo das questões ligadas à História da Comunicação Social. O nascimento da “Rádio”, o aparecimento da “Televisão”, o desenvolvimento do “Cinema”, a afirmação da “Informática”, entre outros, são etapas decisivas na reconfiguração do espaço público, a partir do século XX.

Com a criação da “Telegrafia Sem Fios” (TSF), a partir da Inglaterra, Marconi deu um passo de extrema importância para o sector radioeléctrico. O papel da rádio, enquanto mecanismo fundamental da comunicação, veio evidenciar-se no decorrer da IIª Grande Guerra. Isso tornou ainda mais interessante quando, em 1953, por iniciativa da Texas Instruments, deu-se o surgimento do “Transístor”, que promoveu o aparecimento da Rádio Digital e a Difusão por Satélite, que acabaram por definir os novos caminhos que a rádio viria a surgir.Um dos mais importantes e atraentes mecanismos de comunicação de todos os tempos é a “Televisão” que, num casamento perfeito do som com a imagem, conseguir transportar, fracções de realidades longínquas, para as proximidades dos nossos lares. Por vezes, a televisão consegue transmitir uma ilusão do real tão “perfeita” que parece ser a própria realidade.

Em 1936, a Inglaterra inaugurou as experiências televisivas. Três anos depois, os Estados Unidos da América apresentaram o resultado dos passos que tinham sido dados nessa área.

Devemos ter em consideração que, entre 1940 a 1950, a televisão começou a generalizar-se, passando a ser um instrumento abrangente de comunicação. O medium televisivo era tão comum que passou a ser um meio de comunicação com presença assídua na cobertura dos grandes acontecimentos. Marcou terreno na transmissão da Coroação de Isabel II da Inglaterra, em 1953, e, por outro lado, protagonizou o célebre debate Kennedy X Nixon, sete anos depois.

Entre a década de sessenta e a de oitenta do século passado, o sector televisivo foi marcado pela transmissão por via do satélite e pela tematização dos canais, que estratificou e definiu categorias diferenciadoras de públicos. Será importante levar em conta as questões relacionadas com a privatização da televisão na Europa que, de tanto fugir ao modelo liberal americano, acabou por construir uma estrutura mediática semelhante ao dos Estados Unidos, centrada, sobretudo, no capital financeiro, sob o sustentáculo da economia capitalista.

Muitas vezes, o modelo de comunicação implementado na Europa não deixa de ser a sombra do que se passa nos Estados Unidos. Em vários países, verifica-se uma autêntica transposição do modelo americano, salvo as questões ligadas á televisões públicas que, umas vezes são financiadas exclusivamente pelos Estados nacionais, outras vezes há uma conjugação de forças entre o Estado e os cidadãos, numa luta, muitas vezes inconsequente, de prestar um serviço público de informação e produtos televisivos.

A privatização do sector televisivo aconteceu na Europa entre o decurso dos anos 80 e o início da década de 90, fazendo surgir novos canais, ampliando a esfera informativa e impulsionando a concorrência no domínio. De simples órgão de serviço público financiado e protegido pelos Governos nacionais, a televisão europeia tornou-se uma importante e atractiva área de negócio. Hoje, é praticamente uma indústria. Os negócios mais violentos que se realizam na comunicação social envolvem, quase sempre, cadeias televisivas e tantos outros produtos conexos, cruzando, muitas vezes, o cabo com o sistema hertziano.

Não podemos terminar essa abordagem sem fazer uma referência ao campo do “Cinema”, que tem sido um importante instrumento de transmissão ideológica, servindo-se sobretudo como um instrumento de propaganda política de importância estratégica durante a Primeira Grande Guerra.

O surgimento da “Cibernética” e do “Computador”, no decorrer dos anos 40, não deixa de ser acontecimento que marcou firmemente a paisagem da comunicação global, trazendo consigo a possibilidade de ligar o planeta por via de uma rede de computadores interligados entre si.

Claramente vivemos hoje no período da conjugação do Digital com o Informático, na época da imagem e da publicidade, na civilização do e-mail, do e-comerce e da e-sociedade.

 

 

OS TERRITÓRIOS DA DESCOBERTA

Data

Passos dados na História da Comunicação Humana
Território da Sociedade de Comunicação
Séc. XV  Descoberta da Imprensa
Séc. XIX Industrialização e Massificação
Séc. XX [entre a década de 20 e 60] Aparecimento da Rádio e da Televisão
Séc. XX [por volta dos anos 70] Informática, Satélites, Cabo, etc.
Território das Agências Noticiosas
1832-1835 Havas [Paris]
1848 Associated Press [Nova Iorque]
1849 Wolff [Berlim]
1851 Reuter [Londres]
Território da Imprensa Escrita
868 Primeiro Livro Impresso na China
1038 Tipografia de Caracteres Móveis na China
1439 [entre 1430 e 1440] Gutenberg descobre a imprensa na Europa com caracteres metálicos móveis
1455 Gutenberg imprime o primeiro livro do mundo Ocidental [a Bíblia de 42 Linhas por Página]
1605 Nascimento do primeiro periódico do mundo [Les Nouvelles d’Anvers]
1631 Théophraste Renaudot lança “La Gazette”
Início de 1830 Uma descida no preço das publicações e consequentemente um alargamento do público leitor
1822 Nicéphore Niepce inventa a Fotogravura
1843 Nascimento da primeira revista ilustrada [L’Illustration]
1867  Invenção da máquina rotativa de impressão que contribuiu decisivamente para a aceleração da produção dos jornais
1923 Lançamento da primeira revista semanal de informação geral [Times]
1970  [entre 1974 a 1976] Informatização dos processos de fabricação de jornais
Território do Telégrafo
1793 Claude Chappe inventa o Telégrafo Óptico [França]
1837 Morse inventa o Telégrafo Eléctricos [Estado Unidos]
1850 Charles Bourseul idealiza a transmissão da voz [surgem, desta feita, o microfone e o auscultador]
1930 Estados Unidos da América apresentam o Telex [Telegraph Exchange]
1876 Graham Bell inventa o Telefone
Território da Rádio
1896 [02 de Junho] Marconi cria a TSF [Telegrafia Sem Fios] na Inglaterra
1940 – 1950 Generalização da Rádio [este torna um importante meio de comunicação e de propaganda política durante a IIª Grande Guerra]
1953 Texas Instruments apresenta o Transístor
Anos 90 Rádio Digital e Rádio por Satélite tornam-se uma realidade
Território da Televisão
1936 Primeiras experiências com a televisão são feitas na Inglaterra
1939 A Televisão começa a dar os seus primeiros passos nos EUA
1940 – 1950 Regista-se uma generalização da Televisão
1953 Primeira Grande Transmissão Televisiva: Coroação de Isabel II em Inglaterra
1960 Primeiro Grande Debate Televisivo: Nixon vs. Kennedy [EUA]
1962 A Incorporação da Televisão nos Sistemas de transmissão por Satélite
Anos 80 Surgimento dos Canais Temáticos e a consequente Segmentação do Público
Territórios do Cinema
1914 – 1918 Cinema surge como um grande veículo do Propaganda Política no decorrer da Iª Guerra Mundial
Territórios da Informática
1945 Surgimento da Cibernética como Área de Estudo do Controlo/ Regulamentação do Sistema Comunicativo
Anos 40 Aparecimento do Computador

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

32 comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Quero saber a história e evolução dos computadores em cabo verde.

  2. como surgiu o computador em cabo verde

  3. Olá Nair. Tudo bem? Muito obrigada pela tua visita ao NÓS MEDIA e espero que continues a passar por cá. Olha, não tenho assim muitos dados (ou nada mesmo) em relação à entrada de computadores em Cabo Verde. Devo confessar que é a primeira vez que me vejo confrontado com esta questão, que acho muito interessante. Prometo que se cruzar com qualquer informação relacionada com este assunto, irei informar-te.
    Votos de bom percurso de investigação e já agora, estou muito curioso. Bem que gostaria de saber quando e como é que o computador foi introduzido em Cabo Verde. Se tiveres informação, agradecia que a compartilhasses connosco.
    Abraços
    Silvino Évora

  4. Peço desculpas por ter atrasado em responder a tua questão, Nair. Só agora mesmo é que vi a mensagem deixada no espaço de comentário e pelos vistos já lá está há um tempinho.
    Abraços

    • foi importante entrar nesse site porque começo a ver que esse site é valioso
      conto convosco a emitir os programas comunicativos i imformativo.

  5. adoru ver tdu ixxo sobre cabo verde adoru-vos bjx grandeeeeeeeee

  6. Muito obrigada pela sua visita e pelas suas palavras de estímulo, Sara. Apareça por cá mais vezes, que estaremos sempre de portas abertas.
    Um abraço,

  7. poderia me ajuda, eu queria saber se vc tem os marcos da 5º geração da evolução dos computadores como por exemplo os perifericos… hd, procesador..
    .

  8. Parabens pelo sitio.
    Foi-me muito util para uma investigacao.
    continuacao de bom trabalho.

    Sara Alves
    Uma portuguesa a viver em Praga

  9. meu email indaya.caren@hotmail.com

  10. por acaso ninguem me sabe dizer quando se deu o aparecimento da primeira radio em portugal

  11. Ola. Gosteu mt dessa página, entao queria pedir se possível, que alguem me mande algum artigo sobre a evolução da imprensa caboverdeana. É para um trabalho da faculdade. Obrigada. Abraços

  12. Boa Tarde
    Parabens Silvino Evora, fico muito (mesmo)contente pelo trabalho levado a cabo.Tens sido prof/amigo assiduo e pontual para todos. Acompanho com muita atenção a sua mestria em colaborar com os (utentes).
    Continue com esta humildade e mestria agradecidos ficamos nos.
    Zé Costa

  13. quero saber como surgiu a publicidade em cabo verde por favor me ajudem!!
    bgada

  14. ola sou adelino lopes,primeiramente,obrigado pelo blog.gostaria de saber quais os jornais semanarios de cabo verde?

  15. Estou a trabalhar na minha monografia para o final do curso ciências da comunicãção e queria agradecer- te silvino pelos conteudos que partilha aqui no blog… tenho citado muito silvino Evora no meu trabalho. O teu livro A concentração dos média e liberdade de imprensa, tem -me sido de uma importanciaenorme. se tiver mais dados sobre o mercado mediatico caboverdiano e a liberdade de imprensa no nosso país compartilhe aqui…obrigado

  16. ola ,estou a fazer um trabalho da faculdade sobre a evolução da imprensa em cabo verde se me poder dispor algumas informações agradeço.

  17. Eu quero saber como surgiu radio em cabo verde.

    • A RÁDIO Clube de Cabo Verde foi fundada na Praia em 1945, pelo Alvará nº 2/945. Em Maio desse ano, após a publicação dos estatutos no Boletim Oficial, a direcção faz circular uma carta convidando pessoas a darem o seu apoio à iniciativa, tornando-se sócios-fundadores. Fernando Quejas, que nos facultou a carta recebida na altura, foi um dos que aderiu, e iniciou aí a sua carreira de cantor
      e a partir desta data foi colocada uma radio na praça a emitir programas e musicas todos as 2ª, 3ª, 5ª feira para devirtir as pessoas, e tambem nessa epoca as pessoas que viajavam para ilha do Fogo e da Brava ouviam relatos, (…)e tambem em São Vicente havia uma radio praça que animava as pessoas e esse periodo ficou conhecida como era da radio e nessa epoca a radio surgiu porque havia muitas pessoas no fora de Cabo vede e as familias precisavam de ouvir relatos sobre o desemrolar do conflito que havia na epoca ” segunda guerra mundial ” era a questão da criação da radiuo em cabo verde. etc….

  18. Ola,estou a fazer um trabalho sobre a Imprensa Caboverdiana.A sua historial;se pode me ajudar com alguns dados agradicia.

  19. Há um êrro na data da primeira emissão da Rádio Nova.
    O texto diz 2012, quero rectificar é 17 de Dezembro de 1992.
    Fica aqui a correcção.

  20. ola amigos (as)estou a pedir um apoio se for possivel em documentos que tem a ver com os dados radiofonicos, principalmente os dados que tem a ver com radio cabo verde e a sua contribuição na educação.agradeco o seu apoio.

  21. Muito obrigado pelas preciosas informações e muitos parabéns pelo sítio!
    🙂

  22. I’d like to find out more? I’d love to find
    out more details.

  23. queria saber como surgiram as televisões privadas em Cabo Verde?

  24. obrigado pelas respostas esclarecidas….

  25. obrigado mesmo professor, agora ja posso fazer o meu trabalho com uma noção mais alargada.

  26. Olá
    Queria saber qual é a situação dos media em Cabo Verde desde 2001 até hoje.

  27. eu queria mais informação sobre o jornal a nação e expresso

  28. Tirei muita informação para o meu trabalho de fim de curso, obrigada e sucesso

  29. Doutor Silvino, magnífico trabalho. Parabéns, por iniciativa de criar a página “Nós Media” com informação resumida de extrema importância sobre a “História dos Media”.

  30. Obrigada Professor Silvino.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: