Cinema Cabo-verdiano: Do Alto “Cova da Moura” à “Rua Banana Cidade Velha”

Julho 13, 2007 às 5:55 pm | Publicado em Comunicação e Sociedade | 4 comentários

 

Devemos destacar duas grandes iniciativas no sector do cinema de dois realizadores cabo-verdianos que, curiosamente, na mesma data apresentam dois trabalhos que prometem dinamizar o cinema cabo-verdiano. Dissemos curiosamente porque, surgir um trabalho nesse domínio é difícil, dois ao mesmo tempo é uma raridade. Estamos a falar de dois filmes, de tendência documental: um, “Rua Banana Cidade Velha”, é da autoria de Mário Benvindo Cabral e “Cova da Moura”, de Paulo Cabral.
Relativamente à “Rua Banana Cidade Velha”, A Semana dá-nos conta que “filme pretende mostrar a Cidade Velha ao mundo através de depoimentos e testemunhos de personagens reais – os moradores, que falam do seu ponto de vista sobre a candidatura da Cidade Velha a Património Mundial da Unesco. Durante todo o filme as figuras mais destacadas da comunidade contam histórias que valorizam o berço da nação cabo-verdiana. Outras ainda questionam a importância dessa candidatura para a população local preocupada com o seu bem-estar e a modernização”. Quanto à “Cova da Moura”, Liberal realça que o “documentário revela algumas das contradições que permeiam as relações entre Portugal e os estrangeiros de origem africana, particularmente os descendentes cabo-verdianos, que não se consideram cabo-verdianos, mas que ainda não possuem a cidadania portuguesa”.
Em ambos os casos, destacamos a pertinência dos temas. Pelas piores razões, o bairro da Cova da Moura em Portugal, cuja população maioritária é de origem cabo-verdiana, conquistou espaço nos meios de comunicação social portugueses, estendendo-se aos próprios media cabo-verdianos que, com um olhar distanciado, reproduzem o ‘horror’ que os jornalistas portugueses relatam sobre as vivências cabo-verdianas no Alto da Cova da Moura. Neste sentido, Paulo Cabral vai à procura do pormenor que leva as pessoas a perceberem se a “Cova da Moura” é “Portugal ou Cabo Verde”. Pelos vistos, este documentário vem no seguimento de um que já tinha sido feito anteriormente, dado intitular-se de “Cova da Moura – Portugal ou Cabo Verde II”.
Mário Benvindo Cabral, no seu documentário “Rua Banana Cidade Velha” vai à procura de outros pormenores. Tenta perceber o dia-a-dia da população da Cidade Velha, antiga Vila da Ribeira Grande que luta pelo reconhecimento da Unesco como Património da Humanidade, quando pessoas e instituições estão de olhos postos no local, acabando até por constituir uma violação à privacidade dos moradores.

Anúncios

4 comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Olá Silvino tud dret?
    Ainda não tive a oportunidade de assistir à nenhum dos documentários, mas estou expectante quanto ao conteúdo dos mesmos.Entretanto posso lhe dizer que em relação a Cova da Moura, que há um certo exagero quando as pessoas falam da Cova da Moura como um local perigoso e de traficantes.É certo que tem os seus problemas sociais próprios de um getto marginalizado no coração de uma metrópole.Em parte acho que a própria autoridade Portuguesa ajudou a criar esta imagem,propositadamente ou não, com o intuito de acabar com a zona, pois sentiram que a situação do bairro saia-lhes do controlo.A Cova da Moura era para ser destruida há muito tempo, e é essa a vontade das autoridades Portuguesas.No fundo acredito que mais cedo ou mais tarde a Cova da Moura deixará de existir.
    De qualquer forma, acho que Portugal deve empenhar mais, por forma a dar melhores condições de vida a aqueles que contribuem para a construção de Portugal.A grande maioria das pessoas que vivem no bairro sao pessoas honestas e trabalhadoras, algumas com as quais tive a oportunidade de conviver pessoalmente no bairro.A questão vem de longe e em parte por culpa das autoridades Portuguesas que não souberam dar o devido acolhimento aos seus imigrantes.Digo em parte porque reconheço que também da nossa parte ouve muita imigração clandestina para Portugal e quando é assim é mais difícil de controlar.

  2. Pois é, Ferro.
    Eu também não tive a oportunidade de ver o documentário e não conheço o seu conteúdo, embora se possa ter uma pequena ideia. Isto porque, a imagem da Cova da Moura tem sido colada à violência. Os meios de comunicação social ajudaram-nos a construir esta realidade/mito. No entanto, já vi muitas posições iguais à sua a distanciar a realidade da Cova da Moura da mítica imagem de violência que se tem sobre o local. Eu não posso opinar porque não conheço a realidade da zona. No entanto, se for possível, vou ver o documentário.
    Um abraço
    Silvino Évora

  3. Parabens meus caros irmaos … Parabens, Parabens, ou mais de que isso … OBRIGADO, mas muito muito obrigado pelo vossa inquetasao … obrigado pela vossa atitude e coragem de querer desenvolver Cabo Verde e a nossa media … desejo-vos sucessos no vosso trabadjo
    manu ami e bu fan # 1

    Valdir Cabral

  4. filmagens na cova da moura?

    estou é admirado como é que não roubaram a camara e todo o material…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: